Vasco Lourenço apela a militares para que deponham Bolsonaro

Porque os capitães de Abril são "arautos de um mundo melhor", o capitão de Abril dirige-se, num artigo escrito, aos "militares brasileiros democratas".

"Como Capitão de Abril, questiono-me: como é possível as Forças Armadas brasileiras continuarem a permitir que um dos seus [Jair Bolsonaro] esteja a levar ao limite o desprestígio dessas mesmas Forças Armadas junto do povo brasileiro?"

A pergunta é do coronel Vasco Lourenço, capitão de Abril. E consta num artigo seu publicado no número mais recente da revista "Referencial", a publicação trimestral da Associação 25 de Abril, agora prestes a chegar às bancas.

No texto, intitulado "25 de Abril e a covid-19", o presidente da Associação 25 de Abril mostra-se revoltado pelo facto de as Forças Armadas brasileiras continuarem a permitir que Jair Messias Bolsonaro (capitão na reserva desde 1988) ainda seja Presidente da República do Brasil.

"Se encontrarem uma solução política e pacífica que permita evitar a queda no abismo, a História louvar-vos-á por terem sabido aproveitar uma desgraça para se livrarem de outra!"

Em sua opinião, é preciso que os militares brasileiros "não tenham dúvidas": "Se permitirem que o Brasil continue a ser conduzido para o precipício, a História condenar-vos-á ainda mais do que já vos condena, pela tenebrosa ditadura de que o medíocre e ainda vosso presidente foi actor e continua a ser defensor!"

Segue-se o apelo: "Se encontrarem uma solução política e pacífica que permita evitar a queda no abismo, a História louvar-vos-á por terem sabido aproveitar uma desgraça para se livrarem de outra!"

Capitães são"arautos de um mundo melhor"

Vasco Lourenço explica a "legitimidade" que lhe permite fazer este apelo à revolta dos militares brasileiros: "A resposta é simples: considero que, nós, os portugueses, e nomeadamente nós, os Capitães de Abril, temos autoridade moral para assim falar".

É que "o 25 de Abril deu-nos essa legitimidade". E "a natureza fraternal da Liberdade responsável, da Paz e da Justiça que o 25 de Abril contempla, transformou-nos em exemplo para o mundo e permite-nos assumir o estatuto de arautos de um mundo melhor!"

Dito de outra forma: "Como Péricles já afirmou, 'se o segredo da Felicidade é a Liberdade, o segredo da Liberdade é a Coragem' -, hoje, exige-se Coragem!"

Para Vasco Lourenço, "o drama que estamos a enfrentar [pandemia do covid-19] teve origem, foi causado, pelas enormes asneiras - direi melhor, grandes crimes - que o ser humano tem vindo a cometer, seja na destruição da Natureza, seja na procura de soluções para, através da guerra biológica, dominar o mundo".

E o combate à pandemia confronta-se, "lamentavelmente", com "a actuação de alguns humanos que mais parecem actuar como se fossem aliados do vírus, infiltrados nas fileiras das tropas humanas".

"Refiro-me especificamente a alguns irresponsáveis e imorais que - resultado de enormes asneiras, de outro tipo, protagonizadas pelo ser humano - se alcandoraram a lugares de liderança de importantes países no mundo!", prossegue o capitão.

Vasco Lourenço dá nome a estes "irresponsáveis": Donald Trump, Bolsonaro e Boris Jonhson - e "outros que tais" que diz esperar que "não continuem a dirigir o destino dos seus povos".

A seguir, refere especificamente o Brasil, "país irmão" que "ocupa um lugar especial", dirigindo-se aos "militares brasileiros democratas". Vasco Lourenço não o refere mas o "alvo" maior do seu apelo poderá ser o general Hamilton Mourão, vice-Presidente da República do Brasil.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG