"Stop Contágio". O jogo da DGS que explica o covid-19

Vacinação, uso de máscaras, a cura e os cuidados a ter com os doentes crónicos. Todos estes temas são abordados no jogo interativo que a Direção-Geral da Saúde criou para testar conhecimentos e dar explicações sobre o novo coronavírus.

"Não existe um medicamento para a covid-19, por isso as pessoas não se curam". Verdadeiro ou falso? Falso, porque "apesar de não haver medicamentos para o vírus e só se tratarem os sintomas, muitos dos doentes infetados ficam curados em poucas semanas". A pergunta e a explicação são do jogo que a Direção-Geral da Saúde (DGS) criou "para toda a família" testar os seus conhecimentos sobre a pandemia que já infetou 642 pessoas e fez dois mortos, em Portugal.

Neste jogo, o relógio não está a contar. Há tempo para refletir sobre as respostas a dar, antes de carregar numa das opções, até porque a responsabilidade é grande. Há 20 questões e cada vez que for selecionada a alternativa errada, um continente "é afetado. Se os seis continentes forem afetados, perdes o jogo", pode ler-se nas instruções. O objetivo é impedir "que o vírus se espalhe pelo planeta", ou seja, acertar o maior número de respostas possível.

Há dois níveis de dificuldade para pré-selecionar. E os temas em jogo vão desde os conselhos da DGS e da Organização Mundial de Saúde (OMS), à vacinação ou às viagens. "Se soubermos mais sobre os vírus e como nos defendermos, estamos a proteger-nos e a proteger os outros", diz o enunciado.

É ainda testada informação sobre o vírus SARS-CoV-2 e a doença Covid-19. "Os coronavírus fazem parte de uma grande família de vírus que causam várias doenças". Verdadeiro ou Falso? Verdadeiro. "Já se conhece esta família de vírus desde os anos 1960. Estes vírus caracterizam-se por causarem doenças respiratórias leves a moderadas", explica o jogo, que pode ser encontrado aqui.

Cuidados a ter com o novo coronavírus

No dia-a-dia, evite o contacto próximo com as outras pessoas, mantendo-se no mínimo a um metro de distância, respeite as medidas de etiqueta respiratória (quando espirrar ou tossir tape o nariz e a boca com o cotovelo ou com um lenço de papel e deite-o no lixo de imediato), lave frequentemente as mãos com água e sabão ou com uma solução à base de álcool (durante 20 segundos), não toque na cara e evite partilhar objetos pessoais.

O uso de máscara, em Portugal, não está recomendado a não ser para os suspeitos de infeção e para os profissionais de saúde que tratem destes doentes. Caso comece a manifestar sintomas de infeção (febre, tosse, dificuldades respiratórias, fadiga), contacte as autoridades de saúde através da linha SNS24 (808 24 24 24), em vez de se dirigir diretamente aos serviços de saúde, evitando assim a propagação da pandemia. Mantenha-se informado sobre novas indicações através da comunicação social e dos canais oficiais da Direção-Geral da Saúde, do portal do Serviço Nacional de Saúde, do governo e da Organização Mundial da Saúde.

Portugal tem 642 doentes com covid-19

Nas últimas 24 horas, foram notificados mais 194 casos de covid-19 no país, elevando assim a contagem total para 642 infetados, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), desta quarta-feira (18 de março). Há três pessoas recuperadas e duas vítimas mortais.

Embora seja no Porto (289 pessoas) e em Lisboa (243) que se concentram a maior parte dos doentes, neste momento o vírus já está presente em todas as regiões de norte e sul, incluindo as ilhas. Estão ativas 24 cadeias de transmissão no país.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG