Detida no café mulher que deixou filha de 4 anos sozinha em casa

A criança foi retirada à mãe ao abrigo da lei de proteção de menores e encaminhada para a Segurança Social. Disse à polícia que era habitual ficar sozinha e que a mãe tinha saíde de manhã. Eram 20:00 quando a PSP foi chamada ao local.

Uma mulher foi detida nesta segunda-feira pela PSP num café em Loures, distrito de Lisboa, após ter deixado a filha de quatro anos sozinha em casa, disse à Lusa fonte policial.

De acordo com fonte do Comando Metropolitano da PSP de Lisboa, o alerta foi dado através de uma denúncia de uma vizinha, cerca das 20:00 de segunda-feira, para o facto de uma mãe ter deixado a filha menor sozinha em casa.

A mesma vizinha contou à polícia que foi quando falhou a energia no Bairro do Grilo e saiu à rua para ver o que se passava que começou a ouvir o choro de uma criança e percebeu que algo de anormal se passava, segundo fonte da PSP à DN.

A criança contou à polícia que estava sozinha desde que a mãe saíra de casa, de manhã, e que só tinha comido uma peça de fruta ao longo do dia.

Nas informações prestadas à polícia, a menina também disse que era habitual ficar sozinha. Esta informação não era do conhecimento da PSP, disse fonte oficial ao DN.

Ainda no local, a polícia apurou que a mãe da criança estava num café próximo da habitação, localizada na Rua Professor Egas Moniz, em Loures. Pelo telefone, a mulher terá confirmado que se tinha ausentado de casa de manhã deixando a filha sozinha, mas que este "não é assunto da polícia". Foi nesse mesmo café que foi detida pouco depois.

Na esquadra, a mulher reencontrou a filha, mas, segundo relato policial, nem uma nem outra mostraram intenção de aproximar-se.

A criança, que completa 5 anos este ano, foi retirada à mãe ao abrigo da lei de proteção de menores e encaminhada para a Segurança Social, disse ainda fonte da PSP. Antes de entrar na casa de acolhimento, onde ficará a aguardar o desenrolar do processo, foi submetida ao teste ao novo coronavírus.

A mãe, de 45 anos, será presente a juiz esta terça-feira para conhecer a medida de coação.

As autoridades desconhecem o paradeiro do pai da criança.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG