Primeiro banho do ano encheu as praias de Carcavelos e Matosinhos

Centenas de banhistas e populares juntaram-se hoje nas praias de Carcavelos e Matosinhos para celebrar 2020 com banhos de mar, num ambiente de alegria e convívio. Os mais entusiastas foram mesmo ao banho

A tradição é antiga e em geral não falha. O primeiro banho de mar do ano levou esta quarta-feira centenas de pessoas às praias de Carcavelos, no concelho de Cascais, e à de Matosinhos e, num ambiente de boa disposição, a tradição cumpriu-se uma vez mais, neste primeiro dia de 2020.

Que o diga Narciso António dos Santos, de 95 anos, um veterano destes mergulhos gelados "Faz hoje 77 anos que venho sempre tomar o primeiro banho do Ano Novo à praia de Carcavelos", disse ele à Lusa, naquela praia. Narciso dos Santos é um dos oito fundadores do grupo "Narciso", que criou a iniciativa, lembrando que os outros sete "já foram à vida [morreram]".

Molhado, com a alegria estampada no rosto, o banhista de fibra, alto e ainda bem constituído, contou que esta tradição se iniciou em 1942.

Nessa altura, ele os amigos souberam que dois homens se atiraram para o rio Tamisa. "Se eles se atiraram à meia-noite nós também podemos vir para aqui à meia noite!", contou. E foram mesmo.

Assim, "em 1943, 1944 e 1945 viemos para aqui à meia-noite. Depois acabou a II Grande Guerra Mundial e o exército trazia para aqui holofotes daqueles muito grandes. Eram a carvão e aquilo era muito caro. Pelo que disseram: Acabou a guerra e vocês a tomar banho às escuras é tentativa de suicídio e vão presos!", recordou o banhista.

"Foi aí que passámos a fazer ao meio-dia", disse, enquanto se enxugava, lembrando que foi nessa altura que criaram o grupo "Narciso", do qual é o único ainda vivo.

Para 2020 o intrépido banhista desejou "bom ano, muita Paz e muita alegria e muita amizade, muita amizade!!!".

Cláudia Araújo, que vem há 25 anos "ao banho do ano", disse, por seu turno, que o convívio é "espetacular, cinco estrelas. É muito bom, é muito bom, é demais!", sem esquecer que depois do banho há "os comes e bebes para aquecer o coração".

Interrompida pelo rebentar de foguetes, a banhista Aida garantiu por sua vez que já cumpre este ritual "desde o tempo de Fernando Peça [jornalista da RTP]".

"O banho foi bom para não nos constiparmos o ano inteiro", disse Aida, acrescentando que no caso da sua sobrinha Inês, que ali estava mascarada de coelho cor-de-rosa, lhe fazia "bem para a gripe e para os ossos".

"A água está boa, está mais frio aqui na areia que lá dentro!", exclamou, convicta.

No areal, um grupo de acordeonistas tocava música tradicional e algumas dos banhistas dançavam, espraiando alegria e boa disposição. Outro popular, vestido de "saloio", estava sentado e com uma garrafa na mão. Comia e sorria para quem o olhava e lhe desejava "bom ano".

Um dos elementos do grupo de banhistas "Os Outros", vestidos com fatos de banho às riscas disse que "nem há frio! E depois de estar lá dentro podemos dar todos os mergulhos porque não há frio!".

Rindo, o alegre banhista explicou que "há o grupo A, o B, o C e nós somos 'Os Outros". Os seus votos para o novo ano não surpreendem. São os de felicidade e saúde. Afinal, os mais populares entre todos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG