Portugal dos pequenitos comemora 80 anos com entradas grátis

O Portugal dos Pequenitos faz 80 anos e oferece a entrada em junho a quem tenha menos de 14 anos. Reabriu no Dia da Criança e, devagarinho, tem cada vez mais visitantes.

O Portugal dos Pequenitos, em Coimbra, foi inaugurado a 8 de junho de 1940, o que significa que faz esta segunda-feira 80 anos. Projetado pelo arquiteto Cassiano Branco, é um parque lúdico-pedagógico vocacionado para os mais novos. E foi no Dia Mundial da Criança, há uma semana, que reabriu as portas depois dos limitações de funcionamento decretados pela pandemia.

Muitos eventos estavam programados para festejar o aniversário mas a doença da covid-19 obrigou a cancelar tudo. Em contrapartida, as crianças até aos 13 anos, inclusive, não pagam a entrada durante o mês de junho, ou seja, 5,95 euros, nem é cobrada a aplicação que permite uma visita guiada ao parque.

"É uma forma de assinalar o aniversário, mas também tem a ver com o facto de sabermos que muitas famílias estão com dificuldades económicas", diz Ivo Pimental, administrador da Fundação Bissaya e Barreto, proprietária do Portugal dos Pequenitos (PP). Os adultos pagam 10,95 euros para entrar.

As regras para combater a propagação do novo coronavírus levaram à criação de um novo roteiro para visitar o espaço para evitar que os grupos se cruzem, além que devem manter os dois metros de distância e cumprir as regras de higiene. As entradas são em grupos pequenos, normalmente por agregados familiares. As escolas não estão a marcar visitas, também está suspensa a atividade educativa, embora já tenham realizado oficinas para particulares.

No último fim de semana, visitaram o PP uma média de 400 pessoas por dia, o que os seus responsáveis consideram muito bom dadas as circunstâncias.

292 mil visitantes em 2019

Ivo Pimentel sublinha: "As pessoas têm aderido bem. Não temos uma situação como nos anos anteriores, mas é melhor do que esperávamos. É um espaço ao ar livre e as pessoas estavam desejosas de sair de casa. E também estamos satisfeitos com o comportamento da população no cumprimento das regras de segurança e de higiene".

Nos últimos cinco anos, o parque vinha a registar um aumento continuado da procura, um reflexo do grande fluxo turístico e da melhoria das condições económicas dos portugueses, explica o administrador.

No ano passado tiveram 292 mil visitantes, com um pico de entradas nos meses de verão: junho, julho, agosto e setembro. Este ano, não esperam turistas, mas estão otimistas em relação à procura por parte das famílias portuguesas.

A Fundação Bissaya Barreto (FBB) tem realizado campanhas para atrair público fora da época dela, uma delas é a venda de casas em papel para construir, replicas das habitações regionais em miniatura existentes no parque. Lançaram três casas e a fachada do PP, estando previsto para breve o lançamento de mais quatro.

O Portugal dos Pequenitos. integra desde 1959 o património da Fundação Bissaya Barreto. É uma montra do tipo de monumentos e habitações construídas em Portugal de norte a sul do país, mas também da presença portuguesa no mundo. Tudo em miniatura e acessível aos mais pequenos, que entram e brincam em edifícios feitos à sua dimensão.

Além de uma parte dedicada às casas regionais, o parque tem quatro áreas: "Portugal Monumental", alguns dos principais monumentos do país; "Países de Expressão Portuguesa", com monumentos e trajes dos países de língua oficial portuguesa (PALOP); "Portugal Insular", edifícios das regiões autónomas da Madeira e dos Açores, rodeados por grandes lagos; e Coimbra, uma homenagem à cidade onde está inserido.

O espaço tem vindo a ser requalificado desde 1997, ano em que foi inaugurado o Museu do Traje. Este expõe cerca de 300 peças em miniatura representando a evolução do traje no país, enquadrada em cenas do quotidiano português. "Dos tecidos simples às rendas mais elaboradas, do vestido e fato mais simples do sec. XX aos mais sofisticados dos sec. XVI, XVII e XVIII, todos estes trabalhos foram elaborados à mão por volta dos anos 50 do sec. XX e oferecidos ao Portugal dos Pequenitos", descreve a FBB.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG