PJ detém estrangeiro que roubava dados e códigos de acesso do multibanco

Detido terá roubado cerca de 15 mil euros desde novembro

A Polícia Judiciária deteve um indivíduo estrangeiro de 40 anos suspeito de ter instalado dispositivos em vários terminais de ATM com o objetivo de capturar os dados das bandas magnéticas e códigos de acesso (pins) para posterior clonagem e levantamentos.

De acordo com o comunicado da PJ, o indivíduo é o "presumível autor da prática de cerca 160 crimes de burla informática/ falsidade, informática e associação criminosa, factos que terão tido o seu início durante o mês de novembro de 2018".

A Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica apreendeu vários produtos, dispositivos e software, utilizados para consumar o crime e foram ainda detetados "ficheiros contendo um elevado número de dados de cartões bancários de vários países".

De acordo com a PJ a fraude atingiu, num reduzido período de tempo, um valor superior a 15 mil euros. O detido será presente a primeiro interrogatório judicial, para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.