59 casos em Portugal. Pela primeira vez uma criança até aos 9 anos e dois idosos com mais de 80

Portugal regista 18 novos casos confirmados de infeção por coronavírus. O número de pessoas infetadas em todo o mundo supera as 119 mil. Mais de 4300 morreram.

O número de pessoas infetadas pelo novo coronavírus em Portugal subiu para 59, informou esta quarta-feira a Direção Geral de Saúde (DGS).

Já na manhã desta quarta-feira, a ministra da Saúde, Marta Temido, confirmou no Parlamento que havia "mais casos confirmados" em Portugal do que os 41 divulgados esta terça-feira pela DGS.

Pela primeira vez, há um caso confirmado em crianças até aos nove anos e dois em idosos com mais de 80 anos.

Das 59 pessoas infetadas pelo novo coronavírus (33 homens e 26 mulheres), 57 estão internadas. 11 ou 12 casos foram importados: dois de Espanha e nove de Itália e possivelmente um de Alemanha/Áustria, estando este último em investigação. Há seis cadeias de transmissão ativas.

Em termos territoriais, há um total de 36 casos na região norte (mais 9 do que no dia anterior), três na zona centro (mais um), 17 em Lisboa e Vale do Tejo (mais sete) e três no Algarve (mais um). Alentejo, Açores e Madeira continuam sem casos confirmados.

No total, há 471 casos suspeitos (mais 96 do que no dia anterior), 83 a aguardar resultado laboratorial e 3066 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde (mais 2.399).

Tosse (66%), febre (47%), dores musculares (46%), cefaleia (42%) e fraqueza generalizada (31%) são os sintomas mais frequentes.

Há 13 hospitais de referência para pacientes infetados com covid-19: Braga, Santo António, São João e Pedro Hispano na Área Regional de Saúde (ARS) do Norte; Coimbra, Coimbra - Pediátrico e Guarda na ARS Centro; Santa Maria, Curry Cabral e Dona Estefânia na ARS de Lisboa e Vale do Tejo; Faro na ARS Algarve; Dr. Nélio Mendonça na Região Autónoma da Madeira; e Santo Espírito - Ilha Terceira na Região Autónoma dos Açores.

Infetado comandante que esteve ao serviço da TAP

Um comandante da companhia aérea White Airways, que estava ao serviço da TAP e que realizou um voo Madrid-Porto esta terça-feira foi diagnosticado no mesmo dia com coronavírus no Hospital de São João, no Porto. De acordo com um comunicado de imprensa enviado pela TAP, o comandante está "com um estado de saúde estável".

O co-piloto e o chefe de cabina que trabalharam com o comandante nos voos desse dia estão isolamento e a ser acompanhados pelas autoridades de saúde.

Segundo a nota, "não existe risco de contágio para os passageiros, já que o sistema de ventilação do cockpit é independente do resto da cabina".

Já o avião, um ATR 72, "foi submetido a todos os procedimentos de higienização e desinfeção previstos nos planos de contingência".

Mais de mil médicos responderam a apelo da Ordem para reforçar SNS

Mais de mil médicos responderam positivamente ao apelo lançado pelo Bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, para reforçar a capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde para combater o surto de Covid-19.

Em comunicado, a Ordem dos Médicos destaca que em apenas 24 horas, mais de mil médicos responderam ao apelo do bastonário.

No domingo, Miguel Guimarães apelou a todos os médicos para reforçarem a resposta dos serviços públicos ao novo coronavírus, pedindo aos que estão fora do Serviço Nacional de Saúde que também ajudem, incluindo os reformados.

Numa carta enviada a todos os médicos, o bastonário apelava ao espírito solidário e humanista dos clínicos, sobretudo aos que já saíram do Serviço Nacional de Saúde (SNS), recordando que o novo coronavírus já é uma pressão acrescida num SNS "alvo de grande desinvestimento ao longo dos últimos anos". "Nesta altura em que enfrentamos o surto do novo coronavírus (Covid-19), escrevo-vos evocando o nosso passado e presente, apelando à vossa colaboração direta neste desafio de saúde pública internacional, considerado pela Organização Mundial de Ssaúde uma emergência", sublinhava o bastonário.

Na carta, Miguel Guimarães frisava que o apelo tem "uma relevância especial para os médicos que já saíram do SNS, nomeadamente, os reformados, mas também para os médicos que, estando a trabalhar no SNS, possam dar um contributo adicional, caso venha a ser necessário".

No apelo, Miguel Guimarães dizia também que a Ordem está em contacto e a pressionar a Direção-Geral da Saúde e o Ministério da Saúde para "garantir que os profissionais de saúde tenham acesso aos equipamentos de proteção adequados e, nomeadamente, ao equipamento de proteção individual para se resguardarem durante o contacto com potenciais doentes e doentes infetados".

O bastonário lembrava que cada médico poderá dar o seu contributo na sua área de conforto e saber, libertando outros médicos, mais especializados, para que possam dar o seu contributo específico na área do Covid-19.

Linha SNS 24 vai ser reforçada sexta-feira com 81 enfermeiros

A linha SNS 24 vai ser reforçada na sexta-feira com 81 enfermeiros para responder ao aumento de chamadas devido ao surto de Covid-19, anunciou esta quarta-feira a ministra da Saúde.

Questionada pelos deputados na Comissão de Saúde, onde está a ser ouvida numa audição regimental, sobre o que está a ser feito para reforçar a linha SNS 24 (808242424), Marta Temido afirmou que estão a ser delineadas "vários tipos de medidas". "Ainda esta sexta-feira, a [operadora] Altice reforçará o número de enfermeiros disponíveis para o atendimento [81]", avançou a ministra.

Marta Temido adiantou que o contrato que os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) têm com a operadora Altice está neste momento "largamente ultrapassado". "O contrato tem um volume de chamadas que fazia parte da previsibilidade de resposta de uma linha deste tipo e aquilo que tem sido a procura associada ao Covid-19 fez de facto aumentar significativamente a necessidade de resposta", sublinhou.

O deputado social-democrata Ricardo Baptista Leite defendeu que se "aumente drasticamente a capacidade de resposta" da linha e "eventualmente que se crie uma outra para informações genéricas sobre esta matéria".

Em reposta, Marta Temido disse que na terça-feira o ministério discutiu com os SPMS, que iria ter uma reunião com a Altice, a possibilidade desse desdobramento de linha.

Contudo, sublinhou, "parece-nos que as pessoas já estão muito habituadas à Linha de Saúde 24 e, portanto, estar neste momento a criar aquilo que noutros países foi criado excecionalmente porque não dispunham deste apoio outra linha para este efeito não terá este efeito mais desejável".

Por outro lado, o Governo está também a apelar a quem precisa da Linha de Saúde 24, apenas para informações que não são de saúde, que as coloque por e-mail. "Não é uma abstenção de utilização e o encaminhamento para o e-mail", ressalvou.

A ministra avançou ainda que vai haver uma reunião com as ordens profissionais na sexta-feira, adiantando que já conversou com o bastonário da Ordem dos Psicólogos no sentido de equacionar o apoio de psicólogos à Linha de Saúde 24. "Isto porque há um conjunto de informações que se prendem com o apoio psicológico" e será importante ter esta "área de apoio que não estava considerada na origem".

Os residentes nos concelhos de Felgueiras e Lousada, no distrito do Porto, foram aconselhados a evitar deslocações desnecessárias.

Face ao aumento de casos, o Governo ordenou a suspensão temporária de visitas em hospitais, lares e estabelecimentos prisionais na região Norte, até agora a mais afetada.

Foram também encerrados estabelecimentos de ensino, sobretudo no Norte do país, assim como ginásios, bibliotecas, piscinas e cinemas.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.200 mortos.

Cerca de 117 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países, e mais de 63 mil recuperaram.

Nos últimos dias, a Itália tornou-se o caso mais grave de epidemia fora da China, com 631 mortos e mais de 10.100 contaminados pelo novo coronavírus, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG