Governo admite equiparar remuneração da Guarda Prisional às da PSP

Ministério da Justiça prepara ainda a promoção de 103 guardas à categoria de guarda principal, disse hoje fonte oficial.

O Ministério da Justiça está disponível para equiparar as remunerações dos guardas prisionais às da PSP. Segundo o gabinete de Francisca Van Dunen, a predisposição foi manifestada nos últimos contactos negociais com as três estruturas sindicais da guarda prisional.

"Depois de verbalizada numa reunião com os sindicatos, esta proposta foi também enviada por 'email', no dia 20 de dezembro, para o Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP), no qual era solicitada uma resposta, sob pena de os contactos negociais serem considerados suspensos", assinalou a fonte.

Aquele sindicato "não respondeu a esta comunicação, estando o Ministério da Justiça disponível para retomar o diálogo logo que o SNCGP declare aceitar a proposta que lhe foi dirigida, acrescentou.

O corpo da guarda prisional está em greve para exigir a revisão do estatuto, atualização da tabela remuneratória, criação de novas categorias, um novo subsídio de turno, alteração dos horários de trabalho e novas admissões.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.