Loures quer metro a chegar ao concelho. Petição é discutida amanhã

Loures "é o único concelho limítrofe que não tem nenhuma alternativa eficiente e acessível de transporte", salienta o presidente da autarquia.

A Assembleia da República (AR) discute na sexta-feira uma petição que reivindica a expansão do metro a Loures e Sacavém.

A petição, que já conta com mais de 31 mil assinaturas, foi lançada pela Câmara Municipal de Loures, no distrito de Lisboa, em junho de 2017, em formato 'online' e papel, e defende a concretização da extensão do metro a Santo António dos Cavaleiros, Loures, Infantado, Portela e Sacavém.

Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Loures, Bernardino Soares, referiu que "vamos ter a oportunidade de ter esta discussão num momento em que se tem de tomar as posições fundamentais em relação aos grandes projetos de infraestruturas, nomeadamente em transportes públicos" e que, apesar de o tempo de espera entre a entrega do documento na AR e o início da sua discussão ter sido "demasiado longo", o debate surge num "momento oportuno".

Bernardino Soares relembrou ainda que Loures "é o único concelho limítrofe que não tem nenhuma alternativa eficiente e acessível de transporte em carril, obrigando dezenas de milhares de pessoas a utilizar o transporte rodoviário ou viatura particular. "Esta situação tem elevados custos económicos e ambientais, degrada a qualidade de vida da população afetada e constitui um entrave ao desenvolvimento do concelho", argumentou, sublinhando que também os habitantes da zona oeste e de Vila Franca de Xira poderiam beneficiar da chegada do metro a Loures.

A discussão desta petição tem lugar no mesmo dia em que o parlamento discute e vota recomendações do PSD, PCP, BE, "Verdes" e PAN para a expansão da rede do metro de Lisboa até Loures, todas elas com críticas à opção pela construção da linha circular.

Em maio de 2017, o Governo anunciou que o Metropolitano de Lisboa vai ter duas novas estações, na Estrela e no Rato, que farão a ligação entre o Rato (atual Linha Amarela) e o Cais do Sodré (Linha Verde). O atual traçado da Linha Amarela, que liga as estações de Odivelas ao Rato, irá sofrer alterações de percurso e passará a integrar também a estação de Telheiras (Linha Verde). As restantes atuais estações que fazem parte desta linha (Cidade Universitária - Rato) passarão a fazer parte da Linha Verde, que irá assumir um trajeto circular. A conclusão da obra está prevista para 2023.

Estão ainda previstas novas estações nas Amoreiras e em Campo de Ourique, embora nestes dois casos sem uma data prevista de conclusão.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG