Lisboa. EMEL suspende pagamento de parquímetros até 9 de abril

Vão ser ainda revistos, em conjunto com as juntas de freguesias, os "lugares reservados na via pública que, em função do estado de funcionamento das entidades a que estão adstritos, possam vir a ser libertos neste período contingente para estacionamento livre".

A Câmara de Lisboa decidiu esta segunda-feira suspender o pagamento do estacionamento na via pública e os residentes poderão estacionar gratuitamente nos parques da Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento - EMEL.

Perante a pandemia de Covid-19, o município e a EMEL anunciaram, em comunicado, a "suspensão do pagamento do estacionamento na via pública nas Zonas de Estacionamento de Duração Limitada, nos locais delimitados para o efeito, suspendendo a fiscalização dos mesmos".

Será também permitido o estacionamento gratuito "nos parques de estacionamento da EMEL dos veículos com dístico de residente válido para a área de implantação de cada parque (mediante informação da matrícula pelo intercomunicador no acesso), salvaguardando a capacidade para as avenças preexistentes", lê-se na mesma nota.

Em conjunto com as juntas de freguesia, serão ainda revistos os "lugares reservados na via pública que, em função do estado de funcionamento das entidades a que estão adstritos, possam vir a ser libertos neste período contingente para estacionamento livre".

Além disso, acrescenta o comunicado, os elevadores públicos a cargo da EMEL vão ser encerrados e a empresa municipal vai adotar "medidas de desinfeção das bicicletas do sistema partilhado Gira, permitindo manter, para já, o sistema em funcionamento, recomendando-se o estrito cumprimento das regras de higiene individual".

"Estas medidas serão monitorizadas e avaliadas em função da situação da cidade, podendo ser alteradas ou revogadas a qualquer momento, estimando-se, porém, a sua manutenção, em condições normais, até pelo menos dia 09 de abril", é referido.

A mesma informação salienta ainda que "a ocupação de forma abusiva do espaço público, pondo em causa o acesso de veículos de emergência, e a segurança e livre circulação de peões ou veículos continuará a ser fiscalizada".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG