Lisboa é o concelho com mais casos de covid-19. São 175

A zona Norte continua a ser a que que regista mais habitantes infetados, com 1130 casos confirmados e sete concelhos no topo da lista. Veja os casos concelho a concelho.

A região Norte, a primeira onde foram detetados casos de covid-19 em Portugal, continua a ser a região com mais casos confirmados da doença - 1130 casos e nove óbitos já registados, mas se as contas forem feitas concelho a concelho é Lisboa quem apresenta mais pessoas infetadas com o novo coronavírus: 175. O concelho do Porto regista 126.

O último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), publicado esta terça-feira, apresenta pela primeira vez a caracterização demográfica dos casos.

Sabe-se, portanto, que Lisboa tem mais casos confirmados, mas que logo a seguir estão vários concelhos da zona Norte do país: Porto (126), Maia (104), Vila Nova de Gaia (68) Valongo (65), Gondomar (56), Ovar (55) e Matosinhos (54). Só depois surge o concelho de Cascais, com 39 casos.

Águeda, Alcochete, Arcos de Valdevez, Barcelos, Câmara de Lobos, na Madeira, Chaves, Condeixa-a-Nova, Guarda, Lagoa (Faro), Marco de Canaveses, Mirandela, Pombal, Silves, Soure e Vale de Cambra, são os concelhos com menos casos confirmados de covid-19: registam 3 casos cada um.

Portugal regista 33 mortes e 2362 casos de infeção por covid-19, de acordo com o mais recente boletim da DGS, que corrigiu o primeiro boletim epidemiológico, no qual indicava 29 vítimas mortais.

Já recuperaram 22 pessoas em Portugal.

Maioria das mortes são de idosos com mais de 70 anos

Os dados da DGS indicam que estão confirmadas 14 mortes na região Norte, 6 na região Centro, 12 na região de Lisboa e Vale do Tejo, e uma no Algarve, revela ainda o boletim epidemiológico diário.

O boletim regista 2.362 pessoas infetadas pelo novo coronavírus (mais 302 do que ontem), a grande maioria (2.159) está a recuperar em casa e 203 estão internadas (mais dois), 48 das quais em Unidades de Cuidados Intensivos (mais uma).

Entre os sintomas mais comuns estão a febre (58%), tosse (70%), dificuldade respiratória (24%), cefaleia (34%), dores musculares (42%), fraqueza generalizada (27%).

Desde 1 de janeiro foram registados 15.474 casos suspeitos, dos quais 1.783 aguardam resultado laboratorial. Houve ainda 11.329 casos em que os testes não confirmaram a infeção e 22 doentes que já recuperaram.

Acompanhe aqui todos os desenvolvimentos sobre a pandemia.

Notícia atualizada às 17:25 com a correção dos dados da DGS

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG