PSP investiga violência entre polícias e moradores no Bairro da Jamaica

Agentes da PSP foram filmados durante detenção de um jovem que os terá apedrejado a agredir várias pessoas com socos, empurrões e cassetetes. Bloco vai exigir responsabilidades e direção da PSP já abriu inquérito

São "quatro minutos de desespero completo". É desta forma que quem partilhou um vídeo da intervenção da PSP este domingo de manhã no Bairro da Jamaica, no Seixal, descreve a ação dos polícias. Na gravação amadora, é possível ver agentes da equipa de intervenção rápida a agredir um jovem e outras pessoas, entre as quais mulheres, que são descritas como seus familiares. O jovem terá apedrejado a polícia, que foi chamada ao bairro para pôr termo a uma discussão. Dois polícias e um morador ficaram feridos e a direção da PSP já abriu um inquérito à intervenção policial.

Na gravação, feita por moradores do bairro, é possível ver agressões de polícias - nas imagens contam-se pelo menos uma dezena de agentes - com socos, empurrões e cassetetes não só ao jovem que acabou por ser detido, mas também a uma pessoa que é descrita como sendo seu pai e a mulheres que saem em defesa do jovem e também agridem agentes. Algumas das agressões parecem ter lugar com as pessoas já no chão. O jovem terá sido levado para a esquadra da Cruz de Pau, segundo informações que acompanham o vídeo.

O vídeo é partilhado por Joana Mortágua no Twitter, onde a deputada bloquista critica a violência policial e avisa que "podem ir começando a pensar em desculpas", apesar de não haver "explicação para isto", porque o BE vai exigir responsabilidades.

Questionado pelo DN, o Ministério da Administração Interna preferiu não comentar, para já, o caso e remeteu mais informações para a PSP. Já fonte do Comando Nacional da Polícia de Segurança Pública adiantou que de facto a PSP foi chamada às 7.15 para resolver uma desordem entre duas mulheres no Bairro da Jamaica, serviço para o qual destacou uma equipa de intervenção rápida.

À chegada ao bairro, continua a mesma fonte, os polícias foram recebidos por um grupo de homens com pedras e um dos agentes foi mesmo atingido na boca, tendo ficado com ferimentos ligeiros e recebido tratamento hospitalar. Resolvida a questão entre as duas mulheres, os polícias avançaram para a detenção de um dos jovens que supostamente terá arremessado as pedras, altura em que o vídeo terá sido gravado.

PSP garante que os agentes usaram da "força estritamente necessária para por cobro às agressões de que estavam a ser alvo, para repor a ordem pública e, ao mesmo tempo, para consumar a detenção do suspeito de agressão ao polícia"

Num comunicado enviado às redações esta tarde, a direção nacional da PSP reforça que "indivíduos do bairro tentaram, através do arremesso de vários objetos e de ações físicas agressivas, impedir que a polícia exercesse a sua autoridade e consumasse a detenção" e garante que os agentes usaram da "força estritamente necessária para por cobro às agressões de que estavam a ser alvo, para repor a ordem pública e, ao mesmo tempo, para consumar a detenção do suspeito de agressão ao polícia".

Ainda assim, a intervenção policial e todas as circunstâncias que a rodearam irão ser alvo de uma averiguação interna, tendo o Diretor Nacional da PSP determinado a instauração de um processo de inquérito "que correrá os seus trâmites na Inspeção Nacional da Polícia de Segurança Pública, sem prejuízo de outras averiguações que venham a ser instauradas por outras entidades competentes".

Ler mais

Exclusivos