Só um dos cinco suspeitos de vaga de crimes contra idosos na zona centro ficou em preventiva

Os restantes saíram com termo de identidade e residência

Só um dos cinco suspeitos de agressão e tortura a idosos detidos na quarta-feira pela PJ ficou em prisão preventiva. Os outros elementos do grupo indiciado por diversos crimes de roubo, de sequestro e de um homicídio, ocorridos no centro do País, saíram com termo de identidade e residência, depois de serem presentes a tribunal.

O Ministério Público tinha pedido que todos ficassem em prisão preventiva e vai recorrer da decisão.

A operação que levou à detenção dos presumíveis autores dos crimes, denominada "Operação Sénior", incidiu em diversos locais da faixa litoral, entre as cidades da Figueira da Foz e a Marinha Grande.

As autoridades procuravam os responsáveis por uma vaga de crimes que teve como alvos quase três dezenas de idosos, muitos violentamente agredidos, tendo uma mulher com 85 anos sido espancada até à morte.

O objetivo do gangue era o roubo, nomeadamente objetos em ouro ou dinheiro que as pessoas pudessem ter em sua casa. Os assaltos eram geralmente feitos durante a noite, em casas mais isoladas.

Ler mais

Exclusivos