Mulher 'degolada' afinal morreu de doença

Chegou a ser noticiado como mais um caso de violência doméstica, mas mulher de 47 anos morreu "sem intervenção de terceiros".

As primeiras notícias apontavam para que a morte tivesse ocorrido em contexto de violência doméstica, mais um caso a engrossar as estatísticas deste ano. Mas esta terça-feira a Polícia Judiciária emitiu um comunicado a explicar que a mulher de 47 anos encontrada morta no hall do prédio onde morava, em Corroios, Seixal, no dia 6 de março, morreu afinal de doença.

"As conclusões da investigação apontam, inequivocamente, para a ocorrência de uma morte por motivo de doença, sem qualquer intervenção de terceiros", afirma a PJ em comunicado.

Na altura, chegou a PSP chegou a informar que a mulher encontrada morta tinha sido degolada com recurso a uma arma branca e que o seu companheiro se encontrava em fuga.

No entanto, logo no dia a seguir aos acontecimentos, fonte da PSP citada pela Lusa já admitia a hipótese de não se tratar de um crime. "Os primeiros indícios apontavam para homicídio, mas temos informação que admite a hipótese de não se tratar de um crime. Os exames médicos é que vão determinar, estando a investigação a ser conduzida pela Polícia Judiciária", disse fonte do comando nacional da PSP.

Exclusivos