Grua cai no Jardim Público de Évora e causa danos graves no coreto

Acidente não fez vítimas. Causas da queda da grua ainda estão a ser apuradas.

Uma grua que prestava apoio à obra de requalificação do Palácio de D. Manuel, no Jardim Público de Évora, caiu hoje e provocou danos graves no coreto e numa viatura, mas sem causar quaisquer vítimas.

"Os danos mais graves" do acidente "foram no coreto", tendo ficado "uma grande parte destruída", porque a grua "caiu-lhe em cima", disse o vice-presidente da Câmara de Évora, João Rodrigues, em declarações à agência Lusa.

Uma viatura que estava estacionada no perímetro da obra também sofreu danos, indicou o responsável, referindo que a zona "foi vedada" e que inspetores da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) estiveram no local.

Segundo um comunicado divulgado pelo município, o acidente, cujas causas ainda não foram determinadas, ocorreu por volta das 09:30 e a pesada estrutura metálica atingiu o coreto do jardim público da cidade, causando-lhe "danos graves", e uma viatura.

As obras de requalificação do histórico Palácio de D. Manuel, em Évora, arrancaram em outubro do ano passado, prevendo um investimento de 1,2 milhões de euros, para transformar o edifício num centro interpretativo e de acolhimento a turistas.

Os trabalhos têm um prazo de execução de 600 dias, segundo divulgou o município quando se iniciou a empreitada.

A construção do Palácio de D. Manuel, atualmente com vocação cultural, terá arrancado no século XIV, data em que terá começado a ser residência e Paço Real.

O edifício enquadrava-se, então, num complexo único que englobava um convento, a Igreja de S. Francisco e o Paço Real.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.