Foi retirado o primeiro corpo da pedreira de Borba

Estão no local 63 operacionais apoiados por 29 viaturas

O Major José Vieira, da GNR, confirmou ao DN a retirada do primeiro corpo da água da pedreira de Borba ao início da tarde desta terça-feira, mas as autoridades ainda não sabem a identidade da vítima. Quanto ao segundo corpo, este deverá ser resgatado durante a próxima hora, avança a TVI, sem que a GNR local o confirme nesta altura.

Nesta altura, quando a chuva volta a forçar a interrupção dos trabalhos, estão envolvidos no resgate 63 operacionais que contam com o apoio de 29 viaturas, segundo a informação divulgada no site da Proteção Civil.

Recorde-se que esta segunda-feira, um troço de cerca de cem metros, da estrada entre Borba e Vila Viçosa, ruiu tendo arrastado três viaturas - um carro, uma carrinha de caixa aberta e uma retroescavadora. O acidente fez duas vítimas mortais e há pelo menos quatro desaparecidos.

O Ministério Público já instaurou "um inquérito para apurar as circunstâncias que rodearam a ocorrência", avançou a Procuradoria-geral da República à agência Lusa.

Notícias em Atualização

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.