Escolas abrem à meia-noite para afixar notas

A indicação do Ministério da Educação determina que as notas sejam reveladas a 12 de julho

A partir da meia-noite algumas escolas vão abrir as portas para que alunos e familiares possam conhecer as notas dos exames nacionais e das provas de equivalência à frequência, diz o JN.

Seguindo a indicação do Ministério da Educação, alguns estabelecimentos de ensino vão, à semelhança do que aconteceu no ano passado, afixar as notas e permitir que alunos e familiares possam consultá-las nos primeiros minutos desta quinta-feira, dia 12 de julho.

Escola Secundária Martins Sarmento, em Guimarães, e a Escola Secundária Camilo Castelo Branco, em Famalicão, são duas das escolas que optam por abrir as portas após a meia-noite, conforme anunciaram nas redes sociais.

"A indicação do Ministério da Educação é que as notas apenas sejam reveladas no dia 12 e as escolas não vão infringir nenhuma norma. Umas vão mostrar as notas às 8 horas da manhã e outras às 00.01 horas", disse ao JN Filinto Lima, membro da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos de Escolas Públicas.

A divulgação das notas, logo nos primeiros minutos de 12 de julho, aos alunos é uma iniciativa que aplaude. "É uma medida muito positiva no final de um ano letivo que foi e está a ser particularmente duro. É um momento de convívio entre a comunidade escolar e reduz o sofrimento dos alunos e das famílias porque vão todos dormir muito mais descansados", considerou.

Ler mais

Exclusivos

João Almeida Moreira

DN+ Cadê o Dr. Bumbum?

Por misturar na peça Amphitruo deuses, e os seus dramas divinos, e escravos, e as suas terrenas preocupações, o dramaturgo Titus Plautus usou pela primeira vez na história, uns 200 anos antes de Cristo, a expressão "tragicomédia". O Brasil quotidiano é um exemplo vivo do género iniciado por Plautus por juntar o sagrado, a ténue linha entre a vida e a morte, à farsa, na forma das suas personagens reais e fantásticas ao mesmo tempo. Eis um exemplo.