Dois bombeiros atropelados após acidente com um morto na A1

Dois bombeiros ficaram feridos, um deles em estado grave, atropelados na noite de terça-feira por uma viatura ligeira na Autoestrada A1, em Santarém, após uma colisão entre dois pesados de que resultou um morto, informou a Proteção Civil.

De acordo com fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém, o acidente entre os dois veículos pesados aconteceu ao quilómetro 61 da A1, no sentido norte-sul, na zona de Póvoa da Isenta, provocando um morto, ocupante de uma das viaturas sinistradas, e um ferido ligeiro.

Segundo a mesma fonte, após a colisão dos veículos pesados uma ambulância da corporação de Pernes, também no distrito de Santarém, "que transportava uma pessoa para Lisboa", parou na via, os dois bombeiros saíram do veículo de emergência e "foram atropelados" por uma viatura ligeira. "Um ficou ferido com gravidade e o outro é ferido ligeiro", adiantou a fonte do CDOS de Santarém.

A mesma fonte acrescentou que a viatura ligeira não chegou a colidir com a ambulância ou com os dois veículos pesados sinistrados e que os três feridos foram transportados para o Hospital de Santarém.

Circulação restabelecida

A circulação rodoviária na A1 entre os nós de Santarém e Cartaxo foi entretanto restabelecida às 04.00, após um acidente mortal que resultou de uma colisão entre dois pesados, adiantou fonte da GNR à agência Lusa.

O troço da A1 estava cortado desde as 23.13 de terça-feira, no sentido norte-sul, com o trânsito a ser efetuado pela Estrada Nacional 3.

No local, nas operações de emergência e remoção dos veículos acidentados estiveram envolvidos 27 operacionais, apoiados por 11 viaturas.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.