Associações que representam taxistas afirmam que "esta noite" e sexta-feira são cruciais

"Resistir, resistir e resistir" e "táxis unidos jamais serão vencidos" gritaram os dois dirigentes associativos aos manifestantes ao início da noite segunda de protesto.

O presidente da Federação Portuguesa do Táxi (FPT), Carlos Ramos, afirmou esta quinta-feira que "esta noite e amanhã são determinantes" para que as reivindicações dos taxistas sejam atendidas.

Falando aos cerca de 100 profissionais do setor reunidos na Praça dos Restauradores, em Lisboa, Carlos Ramos apelou para à resiliência dos manifestantes.

"Esta noite e amanhã são determinantes para as conclusões da nossa luta", vincou.

O dirigente da FPT também avançou que esta quinta-feira "há mais viaturas em Lisboa" do que no dia anterior, no Porto "há mais ou menos 400" táxis estacionados, e Faro "mantém os 270 táxis parados". No entanto, o DN constatou que são já várias as abertas na fileira dos táxis estacionados na avenida.

Carlos Ramos disse ainda que a duração da manifestação vai depender do tempo que demorar a resposta do primeiro-ministro, António Costa.

"Se não houver uma resposta, vamos ficar aqui sábado, vamos ficar aqui domingo, porque sabemos que a reunião com o Presidente da República não vai resolver o problema", vincou.

Já o presidente da Associação Nacional de Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL), Florêncio Almeida, sublinhou o caráter pacífico da manifestação: "Estamos a ganhar a população, estamos a ganhar tudo o que nós tínhamos de mal, que não tínhamos, mas de que nos acusavam."

"Hoje às 07:00 quiseram desmobilizar-nos e criar uma situação para denegrir a nossa imagem, mas soubemos responder com o nosso civismo", prosseguiu.

Florêncio Almeida disse também que os taxistas vão continuar o protesto "pelo tempo que for necessário" e apelou à serenidade dos profissionais do setor, porque "neste momento às provocações estão a acontecer".

"Resistir, resistir e resistir" e "táxis unidos jamais serão vencidos" gritaram os dois dirigentes associativos aos manifestantes no final das respetivas intervenções.

A FPT e a ANTRAL vão ser recebidas na segunda-feira, pelas 15:00, no Palácio de Belém, em protesto contra a lei que regula a atividade de Transporte em Veículo Descaracterizado a partir da Plataforma Eletrónica (TVDE).

As associações que representam o setor dos taxistas saíram das reuniões com os partidos com assento na Assembleia da República sem os deputados suficientes para fazer o pedido pelo Tribunal Constitucional de fiscalização sucessiva da lei que regula a atividade de plataformas como Uber e Cabify.