Antigos chefes de estado reunidos para discutir o futuro da educação

Membros portugueses e estrangeiros do World Leadership Alliance - Club de Madrid estão em Lisboa para debater um novo projeto mundial para a educação.

Alguns anos depois de largarem o assento como chefes de estado, ocupam agora o lugar à volta de uma mesa que junta 40 membros do World Leadership Alliance - Club de Madrid (WLA - CdM). É já esta terça-feira que os ex-dirigentes de vários países se juntam numa conferência para discutir a educação inclusiva como motor para a resolução dos problemas maiores de ordem mundial nas sociedades contemporâneas. O evento decorre até dia 17 de outubro, na Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa.

De antigos líderes mundiais a internacionais. Jorge Sampaio, Cavaco Silva, Durão Barroso e António Guterres ocupam o primeiro painel do ciclo de conferências sobre o papel transformador da educação na construção de sociedades partilhadas. Aníbal Cavaco Silva, Felipe González, ex-primeiro ministro espanhol, e José Ramos Horta, ex-presidente de Timor-Leste, são alguns outros nomes que marcam presença na conferência "Education for Shared Services policy Dialogue".

É através da experiência de liderança dos antigos chefes de estado democráticos que se irá debater e tentar delinear um projeto de educação mundial, com base em três pilares principais: educação inclusiva para migrantes e refugiados, educação para prevenir e combater o extremismo violento e, por último, a resiliência digital para uma sociedade multicultural.

"Ao chamar a atenção para a importância da educação enquanto catalisadora de uma mudança para a melhoria de qualidade de vida dos cidadãos, a WLA, considerada a maior organização mundial de líderes políticos, espera contribuir para a criação de um mundo melhor", pode ler-se no comunicado oficial da organização.

Em destaque neste fórum estará a Fundação Aga Khan, debruçada sobre o tema "Resiliência Digital para serviços partilhados" na sociedade.

A World Leadership Alliance é uma organização sem fins lucrativos e apartidária que visa fortalecer os princípios democráticos e o bem-estar dos cidadãos em todo o mundo. Dela fazem parte mais de uma centena de ex-chefes de estado e de governo de mais de 60 países.

Esta segunda-feira, 40 membros do WLA reúnem-se no Centro Ismaili, em Lisboa, num jantar que marca o início das conferências.

Exclusivos