Advogada suspeita de burla por vender casas de emigrantes

Anabela Santos Nogueira, que chegou a frequentar curso para ser juíza, foi alvo de buscas pela PJ. Burlas podem ter rendido mais de um milhão de euros

Uma advogada de Braga é suspeita de ter vendido 16 casas que pertenciam a clientes, na maioria emigrantes, num esquema de burla que atingirá mais de um milhão de euros. Anabela Santos Nogueira foi constituída arguida por crimes de burla qualificada e falsificação de documentos, tendo sido alvo de buscas no escritório e na residência pela Polícia Judiciária. Nas diligências foi apreendida muita documentação.

A atuação policial ocorreu após várias queixas terem chegado às autoridades dando conta de fraudes cometidas pela advogada que tem escritório em Barcelos. A investigação está em curso e a arguida está indiciada por burla por se ter dedicado a vender casas de emigrantes e também segundas habitações de pessoas que se encontravam fora de Portugal, promovendo hipotecas de forma a receber dinheiro. Posteriormente deixava as hipotecas serem executadas e alegadamente ficava com o dinheiro. Terá falsificado procurações para consumar estas burlas.

O marido da advogada, um comerciante do setor automóvel, também foi constituído arguido no mesmo inquérito.

Além de 16 queixas-crime, correm ainda ações cíveis em que os proprietários dos imóveis pretendem reaver a titularidade dos edifícios, já que não consentiram as vendas, nem receberam qualquer verba pelas transações.

De acordo com o jornal O Minho, Anabela Santos Nogueira chegou a estar inscrita no curso para ser juíza mas tinha já sido excluída do Centro de Estudos Judiciários (CEJ), por supostas irregularidades.

Ler mais

Exclusivos