Infarmed garante que não faltarão medicamentos para a doença de Parkinson

Empresa pediu aos doentes e aos médicos para moderarem a compra e a prescrição

A autoridade do medicamento garantiu esta sexta-feira que não haverá falta de medicação para a doença de Parkinson em Portugal, mas apelou aos doentes e aos médicos para que tenham moderação na compra e na prescrição.

O conselho diretivo do Infarmed esteve esta sexta-feira reunido com laboratórios, sociedades científicas e representantes de doentes para avaliar alternativas terapêuticas ao medicamento Sinemet, que está em rutura de 'stock'.

Em conferência de imprensa no final da reunião, a presidente do Infarmed, Maria do Céu Machado, manifestou-se convicta de que não vão haver falhas no acesso à medicação, lembrando que se trata de um medicamento do qual depende muitas vezes a vida dos doentes.

O Infarmed apelou aos doentes para que não façam "uma corrida às farmácias", para criarem "stocks individuais" deste medicamento, lançando também aos médicos um apelo para que não haja prescrição exagerada.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG