Hospital de Santa Maria e Pulido Valente suspendem atividades não urgentes

A decisão surge numa circular interna, na qual é indicado que "deverão ser desde já revistas as programações já efetuadas".

O Hospital de Santa Maria, o maior do país, suspendeu todas as atividades não urgentes e não prioritárias que envolvam internamentos, nomeadamente atividade cirúrgica, para fazer face ao aumento de casos de covid-19.

Desde o fim da tarde desta quarta-feira que as atividades estão paradas no Centro Hospitalar de Lisboa Norte, ou seja, nos hospitais Santa Maria e Pulido Valente, avançou a rádio TSF.

Numa circular interna, a que a rádio teve acesso, é indicado que "deverão ser desde já revistas as programações já efetuadas".

A administração do Centro Hospitalar de Lisboa Norte informa que "deverá manter-se a atividade de ambulatório, incluindo cirurgia de ambulatório, consultas e hospitais de dia".

A decisão foi tomada no âmbito do plano de contingência para fazer face à procura crescente de camas para internamento de doentes Covid.

Ainda na circular, o conselho de administração refere que está a dar sequência a orientações da tutela dirigidas à mobilização global dos recursos do Serviço Nacional de Saúde.

Mais de 3600 mortes em Portugal devido à covid-19

A decisão surge no dia em que Portugal registou mais 79 mortes por covid-19 e 5891 novos diagnósticos da doença, totalizando 3632 óbitos e 236 015 casos confirmados da doença desde o início da pandemia, segundo o boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde (DGS).

A autoridade da saúde indica que há ainda mais 4257 pessoas recuperadas, num total de 153 702.

Dos 78 641 casos ativos (mais 1555 do que na terça-feira), há 3051 doentes que estão hospitalizados, dos quais 432 em unidades de cuidados intensivos.

Um terço das pessoas internadas nos hospitais devido à covid-19 tem entre os 40 e os 69 anos, 4% dos doentes têm menos de 40 anos e 63% são doentes com mais de 70 anos, revelou hoje a ministra da Saúde durante a conferência de imprensa sobre a evolução da pandemia.

Portugal tem uma taxa de incidência cumulativa a 14 dias de 726,2 casos por 100 mil habitantes, referiu Marta Temido.

A região mais afetada é o Norte, que, nos últimos 14 dias, tinha uma taxa de incidência acumulada de 1264 casos por 100 mil habitantes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG