Há 39 pessoas infetadas em Portugal. Um doente inspira cuidados

Portugal regista 339 casos suspeitos, 67 aguardam resultados das análises laboratoriais, afirmou a diretora-geral da Saúde. A maioria das pessoas diagnosticadas com Covid-19 está numa situação "clinicamente estável". Há, no entanto, uma doente que inspira maiores cuidados

São já 39 as pessoas infetadas pelo novo coronavírus em Portugal, informou esta segunda-feira o secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales. A maioria apresenta uma situação "clinicamente estável", mas há uma doente que inspira "algum cuidado" e por isso está a ser alvo de uma "vigilância apertada", disse o governante em conferência de imprensa.

Siga AQUI todos os desenvolvimentos do surto.

Dos novos casos confirmados, sete estão internados na região norte e dois na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Portugal regista, até esta segunda-feira, 339 casos suspeitos, sendo que 67 estão a aguardar pelos resultados laboratoriais, acrescentou a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas.

O norte é a região mais afetada do país, com as escolas de Lousada e Felgueiras encerradas. Duas escolas na Amadora e duas no Algarve também fecharam, resumiu o secretário de Estado da Saúde.

António Lacerda Sales referiu que existem "à data cadeias de transmissão ativas em Portugal", que têm por base os primeiros casos de infeção, importados de Itália e Espanha.

De acordo com Graça Freitas, a "situação está relativamente controlada no norte do país". "Tudo indica que as medidas de contenção estão a resultar", afirmou. Refere, no entanto, que "o comportamento do vírus pode alterar-se".

A diretora-geral adiantou ainda que pessoas com doenças respiratórias graves cuja causa não esteja identificada passam a ser testadas para o covid-19, mesmo que não tenham outro fator de ligação epidemiológica.

Caso haja agravamento da epidemia podem ser adiadas cirurgias não urgentes

Há, atualmente, 10 hospitais no país que estão a receber doentes diagnosticados com Covid-19, afirmou António Lacerda Sales. E podem ser acionados mais. "À medida que a situação vai evoluindo são ativadas mais unidades e com a evolução do surto todos os hospitais poderão estar aptos a receber doentes", disse.

O Hospital de São João, o Hospital de Santo António, o Hospital de Braga, o Hospital Pedro Hispano, o Hospital da Guarda, o Hospital Pediátrico de Coimbra, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, o Hospital Curry Cabral, o Hospital Dona Estefânia e o Hospital de Santa Maria são as 10 unidades neste momento ativadas para receber doentes de Covid- 19.

A informação foi atualizada logo a seguir por Graça Freitas ao dizer que o Centro Hospitalar Universitário do Algarve também já está apto a receber pacientes infetados com o novo coronavírus. Neste centro hospitalar também podem ser realizadas análises.

Aos jornalistas, Graça Freitas admitiu que, no caso de um grande agravamento da epidemia em Portugal, possam ser adiadas situações médicas não urgentes, como consultas e cirurgias programadas.

"Se tivermos que chegar a esse ponto, teremos de libertar camas, libertar médicos, libertar enfermeiros", disse a diretora-geral da Saúde, sublinhando que essa situação refere-se a uma "fase diferente à que estamos atualmente". Salvaguardou, no entanto, que, tal como acontece noutros países, muitos dos doentes podem ficar em casa.

Sobre a possibilidade de fechar fronteiras, que foi esta segunda-feira admitida pela secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, a diretora-geral de Saúde refere que Portugal "tem estado alinhado com a União Europeia" sobre esta matérias, mas até à data "não é uma questão que esteja em cima da mesa". "Vamos ver as indicações que nos serão dadas".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG