Covid-19. Há 112 casos confirmados e mais de 1300 suspeitos

Como se previa, o número de casos suspeitos e infetados disparou. Há 11 cadeias de transmissão ativas, mais cinco que as de quinta-feira.

Há 112 casos confirmados e 1 308 suspeitos de infeção por covid-19 em Portugal. São mais 34 pessoas em 24 horas. Há 11 cadeias de transmissão ativas, mais cinco que as de quinta-feira. Não há mortes a registar.

De acordo com o relatório da Direção-Geral de Saúde, há ainda 172 casos a aguardar resultado laboratorial e 5674 em vigilância pelas autoridades de saúde.

Entre os doentes internados estão os casos de um menino com menos de 10 anos e de 15 jovens entre os 10 e os 19 anos.

Existem dois casos de doentes infetados internados acima dos 80 anos e seis entre os 70 e os 79.

Faixa etária entre os 40 e os 49 anos é a mais afetada

É entre a população com idades entre os 40 e os 49 anos que se registam mais casos (28) de doentes internados, segundo o boletim da DGS, que indica a existência de 24 casos entre os 30 e 39 anos e 14 casos entre os 50 e os 59 anos.

Há ainda registo de 11 casos entre os 20 e 29 anos, 14 entre os 50 e 59 anos e 11 entre os 60 e 69 anos.

Os casos importados são de Espanha (9), França (5), Itália (15), Suíca (3), Alemanha e Áustria (1).

Há 53 casos confirmados no norte do país, 6 no centro, 46 na região de Lisboa e 6 no Algarve.

Há um caso confirmado no estrangeiro, segundo o boletim epidemiológico diário.

O mapa disponibilizado pela DGS continua a não apresentar qualquer caso no Alentejo e nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

O último balanço apontava para 78 casos de pessoas infetadas em Portugal. Nas últimas 24 horas tinham sido confirmados mais 19 casos e aguardavam resultados laboratoriais 133 testes.

A maioria dos cidadãos infetados continuava a estar a norte do país (44 doentes), seguida pela região de Lisboa e Vale do Tejo (23) e depois pelas regiões centro (5) e Algarve (5). A faixa etária mais afetada é a das pessoas entre os 40 e os 49 anos.

"É uma luta pela nossa própria sobrevivência"

"Senti de todos os partidos políticos, sem exceção, o empenho e a determinação em partilhar esta batalha. É uma luta pela nossa própria sobrevivência. Estamos todos juntos", disse o primeiro-ministro António Costa, ao iniciar a conferência de imprensa na quinta-feira à noite, após Conselho de Ministros Extraordinário.

Entre as medidas aprovadas está a declaração do estado de alerta em Portugal, o encerramento de escolas, bares e discotecas, limitação de entradas em espaços públicos, centros comerciais e restaurantes, proibição do desembarque de passageiros de cruzeiros.

Entre a fase de contenção e a de mitigação

Portugal registou o primeiro caso de infeção pelo novo coronavírus no dia 2 de março, mas foi esta semana que o número de casos começou a aumentar com maior intensidade. O que levou a diretora-geral da saúde, Graça Freitas, a explicar, durante a conferência de imprensa de quarta-feira, que o país está a tomar medidas da fase de contenção e de mitigação, ao mesmo tempo, consoante a necessidade.

A fase de contenção alargada prevê que haja, em Portugal, casos importados, sem cadeias secundárias, de acordo com a informação expressa no Plano Nacional de Contingência. A fase de mitigação já contempla transmissão local em ambiente fechado e transmissão comunitária.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG