Direito de Resposta - Notícias Viriato

No dia 26 de Janeiro de 2020, foi publicado no DIÁRIO DE NOTÍCIAS uma notícia intitulada "ERC regista como "informativo" site de desinformação e propaganda", da jornalista Fernanda Câncio, referente ao Jornal Online NOTÍCIAS VIRIATO.

No artigo, o NOTÍCIAS VIRIATO é descrito como um site de "propaganda" e "desinformação" que faz traduções de "websites com pendor nacionalista e/ou de extrema direita", com artigos "propagandísticos" com uma "visão ideológica que o afasta de poder ser um órgão de comunicação social" e "conteúdo enganador ou manipulado e que não respeita o código deontológico dos jornalistas".

O NOTÍCIAS VIRIATO repudia e condena estes insultos e calúnias lesivos do seu Bom Nome, Reputação e Honra.

O NOTÍCIAS VIRIATO rejeita veemente qualquer catalogação ideológica , etiqueta partidária ou associação a ideias, pessoas ou movimentos extremistas.

O NOTÍCIAS VIRIATO, Órgão de Comunicação Social registado na Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC) com o número de registo 127352, é, como disposto no seu Estatuto Editorial, um Jornal Online Livre e Independente, que defende o primado do Estado de Direito e a Liberdade de Pensamento, de Expressão e de Imprensa com o objectivo de estimular o pluralismo e contrabalançar o enviesamento do Jornalismo Português.

O NOTÍCIAS VIRIATO, como disposto no seu Estatuto Editorial, "cumpre o Código Deontológico do Jornalista".

O NOTÍCIAS VIRIATO, de acordo com a ERC, "cumpriu as exigências legais necessárias" para estar registado como Órgão de Comunicação Social.

A jornalista Fernanda Câncio, baseia o seu artigo numa estranha "lista de vigilância do ISCTE" e nas declarações do coordenador da "lista", o sociólogo Gustavo Cardoso.

A questão mais importante desta perseguição inquisitória é a seguinte: Quem é que conferiu, oficial e legalmente, legitimidade e autoridade ao ISCTE para fazer "vigilância" de publicações na internet e atrever-se arrogantemente a classificá-las como de "propaganda"? É a nova PIDE? Um devaneio Orwelliano?

A jornalista Fernanda Câncio, no seu artigo, acusa o NOTÍCIAS VIRIATO de não praticar jornalismo pois este "implica verificação, confronto de versões, ouvir as partes atendíveis, separar factos de opiniões e atribuir estas, não fazer acusações sem provas". Isto foi o que precisamente Fernanda Câncio não fez pois nunca contactou o Director do NOTÍCIAS VIRIATO, António Abreu, para responder a estas acusações infundadas, ilegítimas e erradas e proporcionar o seu contraditório.

Sobre a acusação de que o NOTÍCIAS VIRIATO "não tem jornalistas" é de referir o facto, que anunciámos isso desde o 1º dia . Neste momento, e totalmente de acordo com a lei, o Director do NOTÍCIAS VIRIATO, António Abreu, tem a sua Carteira de Equiparado a Jornalista pendente, tendo já enviado toda a documentação e pagado os respectivos emolumentos.

A jornalista Fernanda Câncio acusa o NOTÍCIAS VIRIATO de não ter "transparência" pois a morada a que estava registado, era de um apartamento "vazio e à venda". Se a jornalista tivesse contactado o Director do NOTÍCIAS VIRIATO, António Abreu, e questionado sobre este assunto, saberia que estava em processo de mudança para outra habitação.

Acrescentando informações a estas acusações falsa, sobre a suposta falta de "transparência", é de informar que o NOTÍCIAS VIRIATO está registado e inscrito na "Plataforma da Transparência" da ERC tendo os seus dados públicos e, de acordo com a ERC, "cumpre as obrigações da transparência".

No final do artigo, Fernanda Câncio, insinua que o nosso financiamento não é "transparente". O NOTÍCIAS VIRIATO é Verdadeiramente Livre e Independente pois não é financiado nem tem ligações a quaisquer grupos, associações, movimentos, partidos, empresas, bancos ou grupos de interesses. Somos apenas financiados com o nosso próprio dinheiro e com os donativos dos nossos leitores.

Com os melhores cumprimentos,

O Director do Notícias Viriato

António Pedro Cláudio Abreu

03 de Fevereiro de 2020

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG