Desalojados do Pico podem regressar "nas próximas horas"

O vice-presidente da Câmara das Lajes do Pico diz que os cerca de cem pessoas desalojadas devido ao furacão Lorenzo podem regressar a casa "nas próximas horas".

"As pessoas foram desalojadas por uma questão preventiva e não porque as suas casas tivessem algum dano. Podiam ter tido se a evolução do mar fosse sempre naquele ritmo, o que, felizmente, não aconteceu. Nas próximas horas poderão regressar" a casa, referiu à agência Lusa Nélson Macedo.

Explicou que foram retiradas provisoriamente das Lajes do Pico 93 pessoas, das quais 50 foram encaminhadas para uma escola e as restantes ficaram em casa de familiares.

A passagem do furacão "Lorenzo" pela ilha, esta quarta-feira, apenas danificou uma habitação, mas causou estragos em infraestruturas municipais, e em instalações balneares e de lazer, informou o autarca. A tempestade originou algumas quebras de energia, entretanto normalizadas.

"Agora há uma acalmia do mar, que esteve muito intenso durante a manhã e não há praticamente vento", contou.

O furacão Lorenzo passou na madrugada desta terça-feira, entre as 04:00 e as 04:30, a cerca de 70 quilómetros a oeste das Flores ainda com categoria 2 na escala de Saffir-Simpson, mas no limite inferior, segundo uma nota enviada esta manhã pelo Instituto do Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

As rajadas máximas registadas pelo IPMA ocorreram às 08:25 locais no Corvo (aeroporto), com 163 km/h, às 05:00 nas Flores (aeroporto), com 142 km/hora, e às 04:00 no Faial (Horta), com 145 km/h.

O furacão Lorenzo perdeu, entretanto, força e está a deslocar-se rumo à Irlanda.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG