Decisão sobre fecho das escolas só ao final do dia. Costa quer ouvir partidos

O primeiro-ministro vai agora ouvir os partidos, para às 20:00 voltar a encontrar-se com o Conselho de Ministros e só depois anunciar a decisão oficial. Conselho Nacional de Saúde Pública recomenda que continuem abertas, diretores querem escolas fechadas.

A semana tem sido de incerteza: o governo vai ou não fechar as escolas como medida de prevenção do novo coronavírus? O primeiro-ministro tinha remetido a decisão para esta quinta-feira, depois do que ficaria decidido em Conselho de Ministros, que decorreu esta manhã, mas esta foi interrompida para que pudesse, ao início desta tarde, encontrar-se com todos os partidos com assento parlamentar.

"Sendo uma matéria que tem tão grande impacto na vida das famílias e sobre a qual todos nós temos oportunidade de acrescentar informação, é útil e necessário que todos os partidos sejam ouvidos", disse António Costa, em declarações aos jornalistas. Decisão final só será conhecida à noite, depois de voltar a reunir-se com os ministros.

Ainda que a discussão dure há dias, o governo esperava ouvir a recomendação do Conselho Nacional de Saúde Pública, que se mostrou contra o encerramento das escolas e de todos os outros estabelecimentos públicos e privados sem que tal ocorresse com "a autorização expressa das autoridades de saúde". O parecer deste órgão, apresentado em conferência de imprensa nesta quarta-feira à noite, teve o aval da Direção-Geral de Saúde. "Nesta fase, com esta realidade, o que faz sentido é as autoridades de saúde em cada local. E em cada região analisarão a situação e poderão determinar o encerramento de escolas na área", disse também a diretora-geral Graça Freitas.

A decisão é criticada pela Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE), que alertava esta semana para a necessidade de fechar as escolas, sendo "o ambiente perfeito para o contágio". O presidente da ANDE, Manuel António Pereira, disse ao DN considerar "que provavelmente não estão [as autoridades de saúde] a tomar as decisões mais corretas atendendo à gravidade da situação".

Depois de reunido em Conselho de Ministros, esta manhã, António Costa anunciou que a decisão sobre o encerramento das escolas e de outras medidas de combate ao covid-19 só serão conhecidas ao final do dia. Depois do encontro com os partidos, o primeiro-ministro irá retomar a reunião do Conselho de Ministros, pelas 20:00, para só depois anunciarem a decisão final. Lembrou que "qualquer decisão não é ausente de consequência" e, por isso, depende de muita ponderação.

"Não é por não estar na sala de aula que o risco é menor"

O governante aproveitou para lembrar que, no caso de os cidadãos verem as suas escolas ou locais de trabalho encerrados por prevenção, devem ter atenção redobrada e "evitar situações de convívio".

"Aproveito para dizer que várias entidades já decidiram elas próprias encerrar as suas atividades. O que fundamentará essa decisão é o risco de favorecer a propagação do vírus. O apelo que eu faria é que todas as pessoas que estudam ou trabalham em sítios que por motivos diversos têm de ser encerrados, devem ter um esforço acrescido: todos devemos procurar evitar estas situações de convívio. Que ninguém pense que não é pelo facto de não estar na sala de aula que o risco de contaminação é menor", alertou.

Esta quinta-feira, a Direção-Geral de Saúde anunciou que o número de infetados em Portugal elevou para 78 casos , mais 19 confirmados relativamente ao dia anterior. A maioria dos casos (44) está localizada na zona norte do país.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG