Criminalidade geral cai a pique. Aumenta abandono de animais e fraude bancária

A criminalidade geral tem vindo a cair, mesmo antes de ter sido decretado o estado de emergência no país, segundo a PSP. Em época de pandemia, cresceram no entanto os crimes de abandono de animais e burla com fraude bancária.

Uma semana antes de Marcelo Rebelo de Sousa ter decretado o estado de emergência no país, a 18 de março, já a PSP detetava um abrandamento na criminalidade geral por comparação como período homólogo. Entre 13 e 31 de março, este tipo de criminalidade caiu na ordem de 56%, com menos 5258 crimes registados. E a criminalidade violenta na ordem dos 42%, com menos 218 crimes registados.

Mas nem tudo são boas notícias. Há crimes que subiram neste período. A PSP dá nota que o abandono de animais teve um acréscimo de 100%, correspondendo a mais 10 situações detetadas. Tal como o crime de burla com fraude bancária, com um crescimento de 67%: mais 31 casos. O furto em outros edifícios (que não residências ou estabelecimentos comerciais ou industriais) com arrombamento, escalamento ou chave falsa, também teve uma subida de 16%, correspondente a mais 7 ocorrências.

Crimes que mais desceram

Nestas semanas de pandemia, os crimes que mais desceram foram os furtos por carteiristas, com 91%, correspondendo a menos 427 denúncias. O que não será alheio a facto de haver muito menos pessoas nas ruas e nos transportes e praticamente nenhuns turistas. Isso também explica a redução do roubo na via pública, que caiu 62%, relativo a menos 167 registos.

A ofensa à integridade física simples também decresceu, na ordem dos 68%, respeitante a menos 470 denúncias; o furto em residência com arrombamento decresceu 62%; furto em veículo motorizado teve uma redução de 57%, com menos 459 ocorrências. E a violência doméstica também caiu na ordem dos 38%, com menos 336 casos.

Perante este tipo de crime, que pode ser denunciado através do email violenciadomestica@psp.pt, a PSP diz já ter intensificado os contactos pessoais com as vítimas de violência doméstica. "Pretende-se com estes contactos apurar da estabilidade da vivência familiar e, se necessário, proceder à imediata reavaliação individualizada de risco e reajuste das medidas de proteção da(s) vítima(s)", escreve a PSP em comunicado

Sinistralidade e desobediência

No que diz respeito à sinistralidade rodoviária, no mesmo período entre 13 e 31 de março, registou-se uma queda de 49% dos registos, correspondendo a menos 1236 acidentes, menos 5 vítimas mortais e menos 456 feridos ligeiros.

Neste período ainda, a PSP deteve 55 cidadãos por desobediência no quadro de exceção e procedeu ao encerramento de 226 estabelecimentos. Foram ainda realizadas 2825 operações no quadro de emergência, em que foram controladas mais de 35 mil pessoas e cerca de 54 mil veículos.

A PSP diz registar, "com agrado, um elevado grau de adesão da população ao quadro legal em vigor e às recomendações das autoridades de saúde e às restrições em vigor, apelando a todos os cidadãos para que mantenham esse comportamento, essencial à contenção da pandemia".

.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG