Costa apela a amplo consenso político e social para o sucesso de Portugal

O primeiro-ministro considerou nesta terça-feira que Portugal está perante "uma oportunidade única" em relação a recursos financeiros europeus, mas advertiu que só terá sucesso se tiver uma estratégia clara alicerçada em amplos consensos políticos e sociais.

Esta posição foi transmitida por António Costa na parte final do seu discurso que encerrou a sessão de balanço público do documento da autoria do professor universitário e gestor António Costa Silva, intitulado "Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica 2020-2030)", que decorreu na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Num elogio ao trabalho desenvolvido por António Costa Silva, o líder do executivo disse que o país dispõe agora "de uma visão ampla, arejada, alargada, informada e culta para os próximos dez anos".

"Temos o desafio de transformar essa visão em instrumentos de política concreta, verificando que recursos temos, priorizar a utilização desses recursos e ir encaixando cada oportunidade que temos para dar o passo seguinte na execução dessa visão. Mas só teremos sucesso se ela começar por ser ancorada desde a partida num consenso muito alargado dos pontos de vista político e social", defendeu António Costa.

Sem consenso, de acordo com o primeiro-ministro, Portugal vai "desperdiçar o tempo, que não tem, para executar a tempo e horas os recursos que nunca mais terá".

"Por isso, é fundamental, o trabalho de agora e o que se segue. Assim como foi essencial começar da melhor forma através do trabalho que o professor António Costa Silva desenvolveu e que agora entrega nas nossas mãos. O desafio agora é nosso", disse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG