Proteção civil regista 307 ocorrências no Porto devido a inundações. Veja as Imagens

O distrito do Porto foi o mais atingido pelas fortes chuvadas que hoje fustigaram a zona norte do país. Proteção Civil registou mais de 300 ocorrências, desde inundações, voos cancelados, linha de metro parada e estradas interrompidas.

A Proteção Civil registou hoje 307 ocorrências no distrito do Porto e 41 em Braga devido ao mau tempo, sendo sobretudo relacionadas com carros submersos e inundações de estradas secundárias.

O comandante Pedro Araújo da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) fez às 16:30 um balanço das ocorrências relacionadas com a queda de chuva e que afetaram essencialmente os distritos do Porto e de Braga.

Segundo Pedro Araújo, os concelhos mais afetados no distrito do Porto são a Maia e Matosinhos, onde há registo de várias estradas secundárias e veículos submersos pela água, bem como garagens e habitações inundadas.

O comandante da ANEPC referiu também que o acesso à porta principal de um centro comercial da Maia ficou inundado o que está a impedir as pessoas de saírem do local, estando neste momento a aguardar que a água baixe.

De acordo com a Proteção Civil, o túnel de Paranhos está também inundado.

No distrito de Braga, a situação mais complicada foi ao final da manhã de hoje, em Vila Nova de Famalicão, onde o transbordo de uma linha de água provocou inundações em garagens e habitações e veículos submersos, explicou.

Voos cancelados devido ao mau tempo

As "condições meteorológicas adversas" estão provocar o desvio de pelo menos nove voos no Aeroporto Sá Carneiro, distrito do Porto, disse à Lusa fonte oficial da ANA Aeroportos.

Há pelo menos nove voos que deviam ter chegado na manhã deste sábado ao Aeroporto de Sá Carneiro, no distrito Porto, mas foram todos desviados, pode ler-se no sítio da Internet da ANA Aeroportos sobre "Informação de Chegadas e Partidas".

O voo das 11:10 com origem de Frankfurt (Alemanha) pela companhia aérea Lufthansa foi desviado, bem como o voo das 11:35 da Ilha da Terceira (Açores/Portugal) da Ryanair.

Desviados foi também o voo das 11:50 de Milão/Bérgamo (Itália) da Ryanair, o voo das 11:50 de London (Stansted/Reino Unido) da Ryanair, bem como o voo das 11:55 de Nantes (França) da Easyjet.

O voo das 11:55 de Toronto (Canadá) da Azores Airline também aparece como "diverted", tal como o voo das 12:00 de Manchester (Reino Unido) da Ryanair ou o voo das 12:45 de Veneza da Ryanair.

Segundo fonte oficial da ANA Aeroportos, o desvio dos voos está relacionado com "as condições meteorológicas adversas", remetendo mais explicações para mais tarde.

Braga e Porto com inundações em habitações e estradas

Entre as 11:00 e as 13:33 de hoje apenas três voos - Lisboa, Paris e Genova - aterram no Aeroporto Sá Carneiro, indica no sítio da Internet da ANA Aeroportos.

As chuvas fortes registadas este sábado no distrito de Braga e Porto provocaram inundações em estradas e habitações.

O distrito do Porto vai manter "o registo de precipitação intensa" até às 15:00 de hoje, segundo a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), que prevê o aumento do número de ocorrências devido à chuva forte.

"Estamos a assistir a um pico de precipitação mais intensa neste momento no distrito do Porto. É a situação mais gravosa que temos em curso. No momento, para o distrito do Porto temos 52 ocorrências e para o distrito de Braga 34 ocorrências, desde as 00:00 de hoje, sendo que estas ocorrências se registaram maioritariamente nas últimas horas, já depois das oito da manhã", explicou, pelas 13:20, à Lusa o comandante Pedro Araújo da ANEPC.

"A linha de instabilidade que originou a precipitação intensa em Braga já passou, neste momento está a afetar o distrito do Porto, onde pensamos que mantenha este quadro de precipitação intensa até sensivelmente às 15:00", frisou o mesmo responsável.

Quanto ao distrito de Braga, a ANEPC tem o registo de vários carros e caves submersas devido ao transbordo de uma linha de água.

"Temos a indicação de que há um conjunto de habitações, nomeadamente de caves de pelo menos dois edifícios habitacionais, que se encontram totalmente inundados. A via inundou e, consequentemente, estes pisos que estão na cota zero ou abaixo da cota zero do solo estão completamente inundados", relatou este operacional da ANEPC.

Contudo, o comandante Pedro Araújo salienta que a situação no distrito de Braga "é de reposição de alguma normalidade, nomeadamente com a intervenção dos bombeiros", enquanto a situação no distrito do Porto "ainda não é de normalidade, bem pelo contrário, é de tendência para se agravar em numero de ocorrências, uma vez que o efeito de escorrência começa agora a fazer-se notar nos pontos mais baixos e nas zonas historicamente inundáveis".

Chuva intensa pára trânsito na A28

Pelas 14:00 a GNR veio informar que o trânsito está parado na estrada A28, junto às saídas de Leça da Palmeira e do porto de Leixões, na região do Porto, devido à chuva intensa.

As chuvas intensas que se registaram ao longo de toda a manhã, no Porto, provocaram inundações na via pública e pararam a circulação dos carros na A28. O nível das águas subiu e está a impossibilitar a circulação dos automóveis, refere a GNR..

O distrito do Porto vai manter "o registo de precipitação intensa" até às 15:00 de hoje, segundo a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), que prevê o aumento do número de ocorrências devido à chuva forte.

Linha do Metro para Aeroporto Sá Carneiro interrompida

A linha de metro entre a Estação dos Verdes e o aeroporto Sá Carneiro (Porto) esteve hoje interrompida devido à inundação de um túnel, mas a circulação regressou à normalidade ao início da tarde, disse à Lusa fonte oficial.

Fonte das relações públicas da empresa Metro do Porto, sistema de transporte público do Grande Porto, disse hoje à Lusa que as chuvas intensas provocaram inundações num túnel do metro entre a Estação Os Verdes e o Aeroporto Sá Carneiro o que levou à "interrupção daquela linha entre as 12:00 e as 14:30".

A linha foi reaberta depois das 14:30 e a circulação voltou a fazer-se com normalidade acrescentou a mesma fonte.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG