Aluno suspenso por partilhar lanche com colegas. Violou regras, diz direção

Suspensão aconteceu no Agrupamento de Escolas Escultor Francisco dos Santos, em Rio de Mouro, que o DN visitou no início do ano letivo.

Um aluno do Agrupamento de Escolas Escultor Francisco dos Santos, em Rio de Mouro, Sintra, foi suspenso, nesta terça-feira, por partilhar o lanche com os colegas e assim ir contra as regras impostas para evitar o contágio por covid-19.

Segundo o documento assinado por Cristina Frazão, diretora da escola, a atitude do aluno é considerada muito grave "numa altura em que todos estão informados de que isso coloca em perigo o bem-estar de todos".

A "medida disciplinar sancionatória" é aplicada no sentido de "incutir atitudes de respeito para com os outros e responsabilidade pelas atitudes tomadas", diz ainda a nota assinada por Cristina Frazão.

"Informei a tutela da situação, após ter entrado em contacto com o encarregado de educação do aluno em causa, pelo que neste momento não tenho quaisquer declarações a prestar. O Ministério da Educação irá produzir um esclarecimento", declarou a diretora numa resposta escrita enviada ao Jornal de Notícias.

"Não há risco zero mas o esforço da escola é o máximo", disse diretora em setembro

O Diário de Notícias acompanhou o início do ano letivo na Escola Escultor Francisco dos Santos, em Rio de Mouro, e na altura Cristina Frazão garantia que, apesar das novas regras, os professores estavam confiantes: "Não há risco zero mas o esforço da escola é o máximo."

"Os pais podem ficar descansados. A escola vai continuar a ser o lugar mais seguro para as crianças, porque aqui elas cumprem as regras. Quando saem pelo portão, a primeira coisa que fazem é tirar a máscara e juntar-se todos a conversar, isso nós já não podemos controlar. Mas aqui iremos fazer os possíveis para que todas as regras sejam cumpridas."

Algumas das regras agora obrigatórias já eram há muito aplicadas na escola por uma questão de funcionalidade, como, por exemplo, a "sala-residente" para cada turma e os caminhos de circulação no interior: "Eles já sabem por onde entrar e por onde sair - foi só fazer pequenos ajustes", explicou, na altura.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG