Feridos em acidente da Madeira não são transferidos hoje para a Alemanha

Estado clínico dos 16 feridos é "estável" e apresenta "evolução favorável", mas hospital diz que não recomenda a transferência já hoje. Marcelo já está no Funchal.

Os 16 feridos que ainda se encontram internados, na sequência do acidente ocorrido com o autocarro turístico na Madeira, na quarta-feira, não vão ser transferidos hoje para a Alemanha, informou fonte do hospital do Funchal.

Miguel Reis, adjunto da direção clínica do hospital do Funchal, disse, em conferência de imprensa, que o estado clínico destes 16 feridos é "estável" e apresenta uma "evolução favorável".

As equipas médicas do hospital do Funchal e clínicos alemães que estão na Madeira a acompanhar a situação das vítimas do acidente com o autocarro ocorrido na quarta-feira, estiveram durante a noite e madrugada a "avaliar a situação clínica individual de cada paciente".

"Oito vítimas estão internadas na Ortopedia, duas na Unidade de Cuidados Intensivos, quatro na Unidade de Cuidados Intermédios Cirúrgicos e duas no serviço Cardiotorácico", adiantou.

Questionado sobre a transferência de feridos para a Alemanha, o médico assegurou que "não ocorrerá durante o dia de hoje", adiantando que, "a acontecer, não será por critérios clínicos, mas por vontade dos próprios".

Segundo Miguel Reis, "não há nenhum critério clínico que justifique a transferência destes doentes para a Alemanha. Isto foi assumido por nós e pela equipa médica [alemã] que está cá no hospital".

O médico adiantou que, "além da escolha e vontade própria do doente, existem questões médico-legais que não dependem do hospital", sem especificar.

Por seu turno, a presidente do conselho administrativo do Serviço Regional de Saúde (Sesaram), Tomásia Alves, afirmou que ainda não chegou à Madeira o avião ambulância que poderá transportar os feridos para a Alemanha.

Das 28 vítimas que dera entrada no hospital na sequência do acidente, 11 já tiveram alta, uma faleceu e 16 continuam internadas. Dos 16 feridos que estão internados, 14 são de nacionalidade alemã e dois portugueses.

O acidente de quarta-feira, no Caniço, concelho de Santa Cruz, provocou 29 mortos.

Marcelo na Madeira

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já chegou à Madeira para prestar homenagem às vítimas do acidente, mostrar solidariedade com as suas famílias e com os 27 sobreviventes e agradecer a forma rápida e eficiente como as autoridades, instituições e pessoas a título individual responderam.

Marcelo disse ainda estar em contacto com o presidente alemão, Franz-Walter Steinmeier, que agradeceu a resposta dos portuguesas, a preocupação de acolher, tratar e cuidar que demonstraram desde o primeiro momento.

O Presidente, que vai participar numa cerimónia luterana, deixou ainda uma palavra de alento aos madeirenses para o futuro.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.