310 novos casos de covid-19 em Portugal, 283 só em Lisboa

Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, morreram mais sete pessoas nas últimas 24 horas.

Mais 310 casos de covid-19 em Portugal, nas últimas 24 horas. Morreram mais sete pessoas. Dados do boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), desta quinta-feira (11 de junho).

Registam-se agora 1504 mortes e 35 910 infetados com covid-19 em Portugal. São 22 002 as pessoas que já recuperaram da doença.

Em comparação com os dados de quarta-feira, em que se registavam 1.497 mortes, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 0,46%. Já os casos e infeção subiram cerca de 0,9%

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde se tem registado maior número de surtos (14.161), há mais 283 casos de infeção do que na quarta-feira (cerca de 2%).

Na quarta-feira (10 de junho), Lisboa e Vale do Tejo (LVT) voltou a concentrar 92% dos casos diários de infeção por covid-19, registando 270 das 294 novas infeções reportadas, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Hoje, quinta-feira, na conferência de imprensa diária da DGS, Jamila Madeira (Secretária de Estado Adjunta e da Saúde), confirma a tendência.

"Os números confirmam a tendência das últimas semanas, em que 90% dos casos se encontram em Lisboa e Vale do Tejo, principalmente em cinco concelhos da Área Metropolitana de Lisboa", disse Jamila Madeira.

"Apelamos a todas as pessoas que respeitem as indicações das autoridades de saúde pública. Cabe a cada um de nós seguir responsabilidade cívica", acrescentou.

Madeira continua sem registo de óbitos

A região Norte continua a registar o maior número de infeções, totalizando 17.007, seguida pela região de Lisboa e Vale do Tejo, com 14.161, da região Centro, com 3.841, do Algarve (391) e do Alentejo (277).

Os Açores registam 143 casos de covid-19 e a Madeira contabiliza 90 casos confirmados, de acordo com o relatório de situação epidemiológica em Portugal, com dados atualizados até às 24:00 de quarta-feira.

De acordo com os dados da DGS, a região Norte continua também a ser a que regista o maior número de mortos (810), seguida da região de Lisboa e Vale do Tejo (417), do Centro (246), do Algarve e dos Açores (ambos com 15) e do Alentejo, que regista um óbito, adianta o relatório da situação epidemiológica.

A Região Autónoma da Madeira mantém-se sem registo de óbitos.

Os dados da Direção-Geral da Saúde indicam que 759 vítimas mortais são mulheres e 745 são homens.

Das mortes registadas, 1.016 tinham mais de 80 anos, 287 tinham entre 70 e 79 anos, 133 entre 60 e 69, 48 entre 50 e 59, e 17 entre 40 e 49.

Há ainda duas mortes registadas entre os 20 e os 29 anos e uma na faixa etária entre os 30 e os 39 anos.

A caracterização clínica dos casos confirmados indica que 415 doentes estão internados em hospitais, menos dois do que na terça-feira (-0,5%), dos quais 70 em Unidades de Cuidados Intensivos, o mesmo número do dia anterior.

De acordo com o relatório, o concelho de Lisboa é o que regista o maior número de casos de infeção pelo novo coronavírus (2.789), seguido por Sintra (1.802), Vila Nova de Gaia (1.592), Porto (1.414), Loures (1.352), Matosinhos (1.292), Braga (1.256) e Amadora (1.152).

Desde 1 de janeiro, registaram-se 345.495 casos suspeitos, dos quais 1.562 aguardam resultado dos testes.

Há 308.023 casos em que o resultado dos testes foi negativo, refere a DGS, adiantando que o número de doentes recuperados subiu para 22.002 21.742 (mais 260).

A DGS regista também 30.615 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

Do total de infetados, 20.320 são mulheres e 15.590 são homens.

A faixa etária mais afetada pela doença é a dos 40 aos 49 anos (6.018), seguida da faixa dos 50 aos 59 anos (5.838) e das pessoas com idades entre os 30 e os 39 anos (5.613).

Graça Freitas: "Já não há crianças nos cuidados intensivos"

Há ainda 4.968 doentes entre os 20 e os 29 anos, 4.717 com mais de 80 anos, 3.831 entre os 60 e 69 anos, e 2.739 entre 70 e 79 anos.

A DGS regista igualmente 873 casos de crianças até aos nove anos e 1.287 jovens com idades entre os 10 e os 19 anos.

Na conferência de imprensa diária da DGS, Graça Freitas disse que iria dar "uma boa notícia", ainda que se reporte apenas ao Sul do país - embora a Diretora-Geral da Saúde acredite que o cenário será semelhaste.

"Nesta altura, só há duas crianças internadas no Hospital D. Estefânia, em Lisboa, nenhuma delas nos Cuidados Intensivos", anunciou.

De acordo com a DGS, 39% dos doentes positivos ao novo coronavírus apresentam como sintomas tosse, 29% febre, 21% dores musculares, 20% cefaleia, 15% fraqueza generalizada e 11% dificuldade respiratória.

Criado Gabinete Regional para casos de covid-19 em Lisboa

Na conferência de imprensa diária da Direção-Geral da Saúde de quarta-feira, Marta Temido, ministra da Saúde, revelou que há cinco concelhos da Área Metropolitana de Lisboa que merecem mais preocupação e que por isso será criado um Gabinete Regional só para casos de covid-19 na zona da capital.

"Será um Gabinete Regional para a supressão da covid-19 em Lisboa e Vale do Tejo", anunciou.

Terá uma matriz operacional, será coordenado por um médico de Saúde Pública [Rui Portugal]", e terá como objetivo garantir que "todos os surtos estão referenciados e que essa informação se mantém atualizada e que os novos casos são acompanhados regularmente", acrescentou a ministra, que justifica a criação do gabinete com a "complexidade" da situação em Lisboa e Vale do Tejo.

Nos últimos 15 dias, a incidência por 100 mil habitantes mais elevada do país tem-se concentrado nos concelhos de Loures, Amadora, Odivelas, Sintra e Lisboa, reforçou.

Estes cinco concelhos da Área Metropolitana de Lisboa são os que merecem "maior preocupação", disse a responsável da pasta da Saúde, revelando que 92% dos novos casos que se verificaram na terça-feira concentram-se nestes.

Há 13 surtos associados a freguesias, a ministra explicitou estas: Arroios e Santo António (Lisboa), Queluz, Agualva, Mira Sintra e Rio de Mouro (Sintra), bem como Encosta do Sol e Mina d'Água (Amadora).

"São as que concentram o maior número de casos, que continuam a ser acompanhados", disse Marta Temido.

As regras de Lisboa na semana do Santo António

A câmara de Lisboa aprovou uma série de regras que vão entrar em vigor esta quarta-feira e vão estender-se até às 10:00 de domingo. Há restrições na venda de bebidas alcoólicas, as casas de Fado não podem receber clientes a partir das 23:00 e há cafés e pastelarias que vão fechar às 19:00.

As lojas de conveniência da capital também vão estar sujeitas a medidas referentes à "restrição no horário de funcionamento", que vão ser aplicadas "a partir das 16:00 e até às 08:00 do dia seguinte".

Já os estabelecimentos de bebidas, sem espaço de dança, e que não tenham o Código de Atividade Económica (CAE), que estão "englobados no Grupo I do Regulamento de Horários de Funcionamento de Venda ao Público e de Prestação de Serviços no Concelho de Lisboa", como como cafés e pastelarias, vão ter uma "restrição do horário" a partir das "19:00 e até às 08:00 do dia seguinte".

Por último, está interdito a instalação de mobiliário urbano de apoio aos estabelecimentos, como "cadeiras, mesas e equipamentos de exposição e confeção de alimentos, nomeadamente grelhadores, assadores e fogareiros".

Está também proibida a expansão da área de esplanada", que está "autorizada/licenciada na presente data".

Pandemia já causou 416.343 mortes no mundo

A pandemia de covid-19 já causou a morte a pelo menos 416.343 pessoas e infetou mais de 7,3 milhões no mundo, desde que, em dezembro, foi identificada na China, segundo um balanço da agência AFP baseado em dados oficiais.

Os casos de infeção diagnosticados são agora 7.383.140, em 196 países e territórios, dos quais 3.279.900 foram dados como curados.

Contudo, a AFP adverte que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do total real de infeções, já que alguns países estão a testar apenas casos graves, e outros usam o teste como uma prioridade para rastreamento, e muitos países pobres têm apenas capacidade limitada de rastreamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG