Entrámos no Ano do Rato a enfrentar o coronavírus

A comunidade chinesa em Portugal está longe da China em distância geográfica mas nada distante dela no coração, tendo participado ativamente nesta luta árdua que o povo chinês está a fazer contra o detestável coronavírus. Imensos episódios têm revelado o seu comportamento de responsabilidade perante a doença inesperada.

Com os senhores Choi Man Hin, Liu Jianyun e Wang Xiaowei à frente, os chineses em Portugal contribuíram em poucos dias com dezenas de milhares de euros para comprar máscaras e outros materiais, todos bem empacotados, a voarem para a China, através da Beijing Capital Airlines que, por sua vez, oferece o transporte gratuito.

Quando os chineses que tinham viajado para a China começaram a regressar para Portugal, a comunidade chinesa, além de lançar o apelo para adiarem a viagem, tomou a iniciativa de promover rigorosamente o auto isolamento profilático, a fim de contribuir para proteger Portugal do contágio da doença. E os viajantes também colaboram sem hesitação. Alguns passaram a viver na casa de amigos ou residências, para deixar o(s) familiar(es) viajante(s) em casa, em isolamento completo. Outros arranjaram casas em zonas afastadas da multidão. A senhora Dai Wanyang, dona de uma empresa gestora de arrendamento de imóveis, angariou vários apartamentos pagando ela própria as rendas e, com consentimento prévio dos senhorios, transformaram-nos em instalações para o isolamento profilático gratuito, destinadas a trabalhadores e estudantes que careçam dessas condições. Todas as reservas são feitas online, sem contacto direto entre os hóspedes e os funcionários. O Centro de Apoio Chinês e algumas pessoas deram dinheiro para mobilar os quartos. Vários restaurantes, Zhiwei, Xiangyuanju, Weizhongwei, Hancheng Kaorou, Guwazi, Yimianyuan, R&M Naichadian, entre outros, oferecem às pessoas em isolamento as três refeições mais objetos de uso diário. Algumas casas comerciais decidiram fechar a porta por 2 semanas, valorizando a prevenção do vírus em detrimento às receitas comerciais.

Perante o coronavírus, a comunidade chinesa mostra-se plenamente unida para, por um lado, apoiar a luta na China e por outro, fazer o máximo possível para evitar o surto de casos infetados em Portugal. Todos adoram Portugal considerando esta terra o seu próprio lar, onde vivem e trabalham em harmonia com os portugueses, onde nascem e crescem os seus filhos e netos lado a lado com as crianças portuguesas, pelo que querem tudo de melhor a esta terra.

Esta luta do povo chinês também é apoiada pelo povo português. Vi alguns nomes portugueses nas listas de contribuição de dinheiro. Sempre que falo com os alunos, amigos e sócios da nossa Associação, todos mostraram-se solidários com os chineses. O dr. Vitório Cardoso, empresário macaense, apoiando os governos provinciais e empresas estatais da China a fazer a aquisição de materiais de proteção em Portugal, passou todo o dia 4 a tratar da sua entrega no aeroporto de Lisboa, auxiliado pela sua mulher, Dra. Helena Mouro, vice-presidente da nossa Associação.

Aliás, a comunidade chinesa em Portugal é também e sempre solidária com o povo português. Perante o incêndio em Pedrogão Grande, em 2017, foi recolhida uma grande quantidade de dinheiro dentro da comunidade chinesa, para apoiar as vítimas, o que foi largamente coberto pelos media na altura.

Por isso, a comunidade chinesa ficou chocada, indignada e triste ao ouvir um programa de rádio a dizer "piadas" sobre os mortos do coronavírus na China, além de ler alguma notícia de brincadeira em que foram inventados casos e mortos do coronavírus em Portugal.

No mundo de hoje, que é uma aldeia global, os povos diferentes estão a ver suas vidas intimamente relacionadas. O coronavírus surgiu na China, mas preocupa toda a Humanidade, pelo que deve ser encarado e combatido com seriedade! Os esforços e os sacrifícios dos lutadores devem ser respeitados e valorizados!! Nesse sentido, agradecemos o programa Polígrafo do SIC que desmentiu muitas notícias falsas sobre o caso. E agradecemos também as mensagens que as personalidades portuguesas enviaram ao senhor Chow Y Ping mostrando a sua indignação pelo comportamento daquele programa de rádio.

Esta luta vencerá, graças à união de todos os povos!!!

Presidente da Associação Portuguesa dos Amigos da Cultura Chinesa e docente da Universidade de Aveiro

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG