Xi Jinping: "A relação entre China e Portugal está a chegar ao seu melhor momento"

O presidente chinês iniciou hoje uma visita oficial de dois dias a Portugal, tendo estado reunido com o homólogo português no Palácio de Belém. Marcelo anunciou que fará uma visita de Estado à China em abril de 2019.

"É com grande satisfação que faço esta visita. Agradeço esta receção calorosa", disse o presidente chinês, Xi JInping, que diz que Portugal é um país europeu importante, cujo povo contribuiu para o progresso da humanidade, com um papel importante nas relações entre Ocidente e Oriente.

"A relação entre China e Portugal está a chegar ao seu melhor momento", disse Xi Jinping após a reunião oficial com o presidente, desejando maiores e melhores êxitos para Portugal. Um dos projeto é o reforço da cooperação ao abrigo do projeto Uma Faixa, Uma Rota, mas passa também por uma melhor cooperação a nível cultural.

"Vamos impulsionar a nossa parceria estratégica global e desenvolvê-la a passos firmes para trazer mais benefícios para os nossos dois povos", disse o presidente chinês. "Devemos fazer crescer e aperfeiçoar os projetos existentes e ampliar as trocas comerciais e criar mais pontos de crescimento", referiu.

"Vinho, azeite e amigo, quando mais antigo melhor", indicou o presidente chinês, citando um ditado português, para se referir às relações entre os dois países. Xi Jinping definiu Portugal como "um grande amigo e parceiro". As declarações não tiveram direito a perguntas.

Antes, Marcelo tinha dado as boas vindas ao presidente chinês, indicando que aceitou um convite para fazer uma visita de Estado à China em abril de 2019, no âmbito da assinatura de um memorando de entendimento bilateral sobre a iniciativa chinesa de investimento em infraestruturas "Uma Faixa, Uma Rota".

"Bem-vindo quase 40 anos depois do estabelecimento das nossas relações diplomáticas", disse o presidente Marcelo Rebelo de Sousa para o homólogo Xi Jinping, lembrando que a cooperação cultural, universitária, mas também económica cresce entre os dois países.

Marcelo lembra que o português é a língua mais falada, talvez, no hemisfério sul. "Portugal, nascido neste estratégico ponto da Europa e que olha para as Américas e a África, com comunidades importantes em todo o universo, presente através dos seus melhores nas organizações internacionais, saúda o presidente Xi Jinping, certo que esta sua primeira visita de estado a Portugal pode fazer história", referiu. "É nosso dever garantir que essa história contribuirá para a felicidade dos nossos dois povos", acrescentou.

"Sinta-se em casa, como nós nos sentimos em casa na China há 500 anos", referiu Marcelo.

Lembrando que os dois países estão longe e pertencem a realidades diversas, Marcelo disse que isso não impediu a convivência em Macau. "Não nos impede de trabalharmos em conjunto nas organizações internacionais, nem de defender o multilateralismo, os direitos humanos, a resolução pacífica dos conflitos. Nem de apoiarmos o livre comércio e as pontes de entendimento entre Estados e povos. E estarmos em permanência atentos ao ambiente e às alterações climáticas", acrescentou.

Livro de honra

Antes da reunião oficial, o presidente chinês escreveu a sua assinatura e data no livro de honra. Quando os fotógrafos tiravam as fotografias do início do encontro, Marcelo contou a Xi Jinping que tinha tido alunos chineses e que eles eram todos muito inteligentes.

A última visita oficial de um presidente chinês a Portugal foi a de Hu Jintao, em outubro de 2010. Xi Jinping vem antecipar o início das comemorações do Ano da China em Portugal e do Ano de Portugal na China e lembrar os 40 anos das relações diplomáticas entre os dois países.

Antes de chegar a Portugal, o presidente chinês já indicara que Portugal é uma peça importante da estratégia de internacionalização da economia chinesa, pela relevância que ocupa no mapa da União Europeia e pela sua influência em África, especialmente junto dos países de língua oficial portuguesa.

Esta noite, Xi Jinping terá um jantar oficial oferecido pelo presidente português, no Palácio da Ajuda.

Exclusivos