Viúva do médico chinês Li Wenliang não quer nome do marido na rua da embaixada chinesa em Washington

Proposta para mudar o nome da rua foi apresentada pelos republicanos. Li Wenliang foi o médico que alertou os colegas para o vírus então desconhecido, tendo sido depois punido pela polícia.

A viúva de Li Wenliang, o médico chinês que foi castigado por alertar os colegas para o surto de covid-19 em Wuhan, criticou uma proposta dos políticos americanos para dar o nome do marido a uma rua em frente à embaixada chinesa em Washington. Li, de 34 anos, foi punido pela polícia por alertar os seus colegas sobre a doença respiratória desconhecida, que mais tarde o haveria de matar.

Fu Xuejie escreveu nas redes sociais que não queria ver qualquer sensacionalismo associado à morte do seu marido. "Fico triste por saber desta notícia", disse. "Wenliang era membro do Partido Comunista e ele amava profundamente a sua pátria. Se ele soubesse, não permitiria que outras pessoas usassem o seu nome para ferir sua pátria ", escreveu a viúva.

A morte de Li no início de fevereiro provocou uma onda nacional de tristeza e raiva contra o governo. Mas Pequim rapidamente mudou de tática e passou a retratá-lo como um herói nacional, tendo ainda enviado uma equipa para investigar sua morte. As autoridades também censuraram posts que pediam a liberdade de expressão e desculpas por parte do governo e, em vez disso, transformou a narrativa numa homenagem ao sacrifício de um membro do Partido Comunista.

Fu não tinha feito nenhuma aparição pública desde a morte do seu marido. O comentário de sábado (30 de maio) foi sua segunda publicação na conta Weibo criada a 7 de fevereiro. O seu primeiro post, feito um dia após a criação da conta, foi para refutar os de rumores na internet de que ela estava a pedir doações para apoiar a sua família.

A segunda publicação de Fu provocou várias reações na plataforma do Twitter - as publicações com a hashtag "declaração emitida pela esposa de Li Wenliang" atraíram 120 milhões de visualizações - e também foi amplamente divulgada pelos meios de comunicação do continente.

No início deste mês, os republicanos na Câmara dos Deputados e no Senado dos EUA apresentaram um projeto para renomear a rua do lado de fora da embaixada chinesa. Se essa proposta for aprovada, o endereço oficial da embaixada chinesa no noroeste de Washington será alterado de "3505 International Place" para "1 Li Wenliang Plaza".

Em 2014, os legisladores dos EUA também fizeram lobby junto do governo da cidade para nomear a rua do posto diplomático, em homenagem a Liu Xiaobo, o ativista chinês de direitos humanos e vencedor do Prémio Nobel da Paz. Nessa altura, a embaixada chinesa protestou contra a campanha, dizendo ao The Washington Post que Liu havia "violado as leis chinesas" e argumentando que o público dos EUA "não gostaria de ver uma rua dos EUA com o nome de um criminoso".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG