Vaticano confirma seis casos de coronavírus entre funcionários. Nenhum tem contacto com o Papa Francisco

Santa Fé fez mais de 170 testes. Itália já superou os dez mil mortos.

O Vaticano confirmou este sábado que há seis casos de coronavírus entre os funcionários da Santa Fé, mas sossegou a nação católica, garantindo que o Papa Francisco não está infetado. "Atualmente, existem seis pessoas afetadas pelo covid-19 entre funcionários da Santa Sé e cidadãos do Estado da Cidade do Vaticano. Posso confirmar que nem o Santo Padre nem seus colaboradores mais próximos estão infetados", anunciou o diretor de comunicação do Vaticano, Matteo Bruni.

Bruni explicou que, depois de serem detetados mais dois casos de covid-19, "foram adotadas medidas apropriadas de higienização e foram realizados novos testes, no total dos mais de 170 anteriores, sobre os funcionários da Santa Sé e residentes da Domus. Todos esses testes mais recentes deram negativo".

Um dos infetados é um oficial da Secretaria de Estado residente em Santa Marta que, após apresentar alguns sintomas, foi posteriormente colocado em confinamento solitário. No momento, a sua condição de saúde é crítica, mas como precaução, a pessoa foi hospitalizada para observação.

Quanto ao Santo Padre, apesar de oficialmente nunca ter sido comunicado, chegou a fazer dois testes. Segundo o jornal Il Messagero, o pontífice fez o teste para despistar os sintomas de gripe, que se revelou inconclusivo e por isso teve de ser repetido.

Francisco deixou entretanto de almoçar no refeitório comum a todos da casa Santa Marta, come sozinho em seu quarto, limitou visitas, mas ainda segue recebendo pessoas em audiências privadas. Na sexta-feira rezou a missa pelo fim da pandemia na praça de São Pedro deserta. A imagem do Santo Padre sozinho no altar a rezar sem assistência correu mundo.

O Vaticano encontra-se na cidade de Roma, em Itália, onde a pandemia tem alastrado sem controlo, tendo já feito mais de mil mortos até este sábado.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG