Trump: "Não estamos satisfeitos com a China"

Presidente norte-americano diz que a Casa Branca está a fazer um grande trabalho para travar a pandemia e voltou a atacar Pequim

O presidente dos Estados Unidos disse esta segunda-feira em conferência de imprensa que está descontente pela forma como a China geriu a pandemia de covid-19.

"Vamos investigar muito seriamente a China. Não estamos satisfeitos com a China, não estamos satisfeitos com toda esta situação, porque acreditamos que poderia ter sido travada na fonte e poderia ter sido travada rapidamente, evitando a propagação por todo o mundo. Eles deveriam ter protegido todo o mundo", afirmou.

Donald Trump disse ainda que não pensa alterar a data das eleições presidenciais dos EUA. "Porque o faria? 3 de novembro. É um bom número", atirou, deixando provocações ao provável adversário, o democrata Joe Biden.

Questionado sobre se um presidente merece ser eleito depois de terem morrido mais pessoas em seis semanas do que em toda a Guerra do Vietname, Trump disse que tem sido desenvolvido um excelente trabalho para travar a pandemia.

"Perdemos imensas pessoas, mas se olharmos para as projeções originais, eram de 2,2 milhões de mortes. Provavelmente teremos entre 60 a 70 mil. Uma pessoa seria demais, mas penso que temos tomada decisões realmente boas. A melhor decisão foi fechar as fronteiras, impedindo que pessoas viessem da China", vincou.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG