Tribunal confirma prisão perpétua para ex-presidente do Egito Mohamed Morsi

Morsi é acusado de ter entregado documentos relacionados com a segurança do Estado às autoridades do Qatar

A justiça egípcia confirmou hoje de forma definitiva a pena de prisão perpétua para o ex-presidente do Egito Mohamed Morsi pelo envolvimento num caso de espionagem com o Qatar, informou uma fonte judicial.

O Tribunal de recurso confirmou a pena de prisão perpétua, que no Egito equivale a 25 anos, para o deposto mandatário islamita dos Irmãos Muçulmanos acusado de ter entregado documentos relacionados com a segurança do Estado às autoridades do Qatar.

No âmbito do mesmo processo também foram ratificadas as pena de morte para três membros dos Irmãos Muçulmanos e penas de prisão perpétua e trabalhos forçados para outros dois membros da organização.

Exclusivos