Suspeito de insultos antissemitas a filósofo francês detido em Paris

Um homem suspeito de proferir insultos antissemitas contra o intelectual francês Alain Finkielkraut foi colocado sob custódia policial na noite de terça-feira.

Um homem suspeito de proferir insultos antissemitas contra o intelectual francês Alain Finkielkraut foi colocado sob custódia policial na noite de terça-feira, informou hoje o Ministério Público de Paris, confirmando as informações do jornal Le Parisien.

Os insultos aconteceram à margem de uma manifestação do movimento dos "coletes amarelos" no sábado, em Paris, quando os manifestantes se cruzaram com Finkielkraut na rua.

Uma investigação preliminar foi aberta no domingo por "insulto público por origem, etnia, nação, raça ou religião".

Os insultos contra o filósofo desencadearam uma vaga de condenações por toda a classe política.

O suspeito, um vendedor de telefones originário do leste da França, é o homem mais visível no vídeo da altercação divulgado no sábado, indicou uma fonte da polícia.

Segundo uma outra fonte próxima ao caso, o suspeito compareceu a uma convocação dos investigadores.

"Espécie de sionista", "Grande m...", "Ela é nossa, a França", proferiu o homem, que estava vestido com um colete amarelo, ao dirigir-se ao filósofo e académico francês.

Alain Finkielkraut não apresentou queixa em relação a este episódio.

A França tem experimentado recentemente um ressurgimento de atos antissemitas. Na terça-feira, foram descobertas 96 sepulturas profanadas num cemitério judeu no leste do país.

Manifestações contra o antissemitismo foram realizadas na terça-feira, em toda a França, especialmente em Paris, onde milhares de pessoas tomaram as ruas para denunciar esses atos.

Cerca de 50 partidos, associações e movimentos em França pediram uma frente unida contra o antissemitismo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG