Sobem para 11 os mortos no descarrilamento do TGV francês

A hipótese de sabotagem ou ato criminoso como causa do acidente "não é privilegiada", diz magistrado

Onze pessoas morreram e 42 ficaram feridas, entre as quais quatro menores, no descarrilamento no sábado de um comboio de alta velocidade (TGV) francês quando circulava em testes, informou hoje o magistrado encarregado do dossier.

Alexandre Chevrier, procurador-adjunto de Estrasburgo, disse à imprensa que 53 pessoas se encontravam a bordo do comboio para a "viagem teste", entre os quais "alguns convidados", como é o caso dos quatro menores, entre os 10 e os 15 anos, que "felizmente só ficaram ligeiramente feridos".

Quatro dos feridos encontram-se em estado grave.

"Não vamos excluir qualquer causa" para explicar o acidente, mas "a hipótese de sabotagem ou de um ato criminoso, um atentado (...) não é privilegiada", indicou o ministério público, que vai abrir uma investigação judicial por "homicídio e ferimentos voluntários".

O TGV efetuava ensaios na nova linha de alta velocidade no norte de Estrasburgo e, por isso, só deveria transportar técnicos.

O acidente, o primeiro descarrilamento mortal na história do TGV desde a sua entrada em funcionamento em 1981, ocorreu em Eckwersheim, a cerca de 20 quilómetros deEstrasburgo.

A nova linha de grande velocidade deve começar a funcionar na primavera de 2016 e colocará Estrasburgo a 01:48 de Paris, contra as 02:20 atuais.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG