Sarkozy começa a ser julgado por corrupção em outubro

É o primeiro processo por corrupção contra um antigo presidente francês. O ex-Chefe de estado é acusado de tentar corromper um juiz. Nicolas Sarkozy retirou-se da política em 2016.

O ex-presidente francês Nicolas Sarkozy vai ser julgado por corrupção entre 05 e 22 de outubro, naquele que será o primeiro processo por corrupção contra um antigo chefe de Estado em França, decidiu hoje um tribunal de Paris.

Nicolas Sarkozy (2007-2012) é acusado de "corrupção e tráfico de influências" no âmbito do chamado "caso das escutas", em que é suspeito de tentar obter, através do seu advogado Thierry Herzog, informações junto do juiz Gilbert Azibert, em troca de um importante cargo no Mónaco.

O julgamento vai realizar-se entre 05 e 22 de outubro, depois de uma audiência intermédia marcada para 17 de junho, anunciou hoje o tribunal criminal de Paris.

O julgamento de um ex-presidente por corrupção é inédito em França.

Apenas um presidente da V República, a atual constituição da república francesa, em vigor desde 1958, foi julgado num processo político-financeiro: Jacques Chirac (1995-2007), condenado a uma pena suspensa de dois anos de prisão por desvio de fundos, abuso de confiança e prevaricação, num caso de empregos fictícios na câmara municipal de Paris nos anos 1990.

A justiça francesa validou em junho passado o julgamento de Sarkozy ao rejeitar os últimos recursos do ex-presidente, do advogado Thierry Herzog e do antigo magistrado Gilbert Azibert.

O processo tem a sua origem em escutas ao telefone de Sarkozy, executadas por ordem judicial para esclarecer suspeitas de que teria recebido dinheiro do líder líbio Muammar Kadhafi (1960-2011) para financiar a campanha eleitoral de 2007.

Mas as escutas revelaram também conversas entre o ex-presidente e o seu advogado sobre a necessidade de obter, através do juiz Azibert, informação sobre o processo sumário, em que acabou por se ilibado, que investigava o alegado financiamento ilegal da campanha de 2012 pela herdeira do império de cosmética L'Óréal, Liliane Bettencourt.

Em troca das informações, Sarkozy prometeu ao juiz favorecer o acesso a um importante cargo no Mónaco, o qual nunca chegou a ocupar.

Nicolas Sarkozy perdeu as eleições de 2012 para o socialista François Hollande e retirou-se da política em 2016, depois de ser derrotado nas primárias do seu partido Les Républicains para a candidatura à presidência.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG