Sabe o que é a Giving Tuesday? Depois de gastar, pode doar

Chama-se Giving Tuesday e celebra-se nesta terça-feira. O movimento pretende incentivar a doação a instituições em todo o mundo, pelo menos um dia por ano. Portugal aderiu pela primeira vez neste ano.

Passado o Dia de Ação de Graças, nos EUA, e os mundialmente conhecidos Black Friday e Cyber Monday, o Giving Tuesday vem mudar o rumo das nossas carteiras. E se em vez de correr para os centros comerciais ou para sites de compras dedicasse um dia para doar? O movimento global não é novo. Criado em 2012 pelo centro cultural Belfer para a Inovação e Impacto Social, da cidade de Nova Iorque, em parceria com a Fundação das Nações Unidas, pretende ser o dia dedicado à solidariedade. Celebra-se nesta terça-feira.

O objetivo é claro: "Celebrar e incentivar a doação", pode ler-se no site oficial do projeto. O movimento Giving Tuesday atua sobre um processo de colaboração entre organizações sem fins lucrativos, entidades cívicas, empresas e corporações, bem como comunidades, de forma a "ampliar pequenos atos de solidariedade".

Mais de cem países já terão aderido às atividades solidárias deste movimento. No Twitter, o número de seguidores ultrapassou os 66 mil seguidores.

Apesar de esta terça-feira ser o dia oficial, o Giving Tuesday é, na verdade, um movimento preparado durante todo o ano pelas variadas organizações que se inscrevem nos meses anteriores. A proposta do projeto é que se comece em maio.

Seja através de uma organização ou como elemento de uma qualquer comunidade, todos podem participar. Doando, angariando, fazendo voluntariado ou até mesmo divulgando o movimento e incentivando os que aderiram a contar as suas histórias. Para auxiliar no processo, a organização da iniciativa criou um diretório para encontrar organizações, instituições de caridade e eventos locais para os quais pode escolher contribuir.

"Em apenas seis anos, famílias e organizações, negócios e comunidades tornaram o Giving Tuesday um movimento global", lê-se no site, onde são partilhadas histórias de sucesso.

O zoo Henry Vilas, em Washington, Estados Unidos, é um dos exemplos apontados. A instituição avançou a sua participação no movimento com o objetivo de angariar 20 mil dólares, com os quais conseguiriam adotar um tigre siberiano ainda neste ano. Antes mesmo desta terça-feira, o zoo conseguiu angariar 32 mil dólares e Yuri faz agora parte da família animal do Henry Vilas.

Também o banco alimentar de Westchester, em Nova Iorque, foi divulgado como uma história com final feliz entre aquelas que se juntaram à iniciativa. Dez grupos comunitários juntaram-se numa competição amigável com a árdua tarefa de conseguir arrecadar a maior quantidade de comida em 45 minutos. No total, terminaram com mais de 19 quilos de maças e peras, naquele dia entregues a organizações, entre elas a Senior Grocery Program, que distribui comida fresca por vários lares e centros de dia.

Na Europa, o Giving Tuesday tem ganho cada vez mais terreno de ação. Em setembro deste ano, a Associação Europeia de Angariação de Fundos (EFA) divulgou na sua plataforma online a entrada de mais seis países europeus na iniciativa, entre os quais se encontra Portugal. Bulgária, Finlândia, França, Polónia e Ucrânia estão no lote.

A diretora da associação, Yaële Aferiat, disse acreditar "que a natureza coletiva da campanha e o alcance que ela oferece foram essenciais para conseguir tanto apoio de instituições de caridade em toda a Europa".

A explicação está, para a diretora, no "facto de ser uma campanha global baseada em energia positiva e coletiva, o que a torna muito poderosa e fornece motivação e apoio que mobiliza organizações e indivíduos a participar". E "isto é muito importante para o setor no momento, particularmente na França, onde o ambiente de financiamento se tornou tão difícil e estamos a procurar construir uma cultura de generosidade e filantropia", explica.

De acordo com a publicação da EFA, em Espanha, no ano passado, foram angariados mais de 600 mil euros para mais de 300 projetos sociais. Na Suíça, as doações ultrapassaram os cem milhões de francos suíços. Em 2017, terão participado mais de 150 países, arrecadando um total mais de 300 milhões de dólares para causas solidárias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG