Putin adia referendo constitucional e declara uma semana de feriado para travar o vírus

Consulta sobre as reformas estava prevista para 22 de abril. Rússia tem 658 casos, um aumento de 163 nas últimas 24 horas.

O presidente russo, Vladimir Putin, anunciou o adiamento da consulta popular sobre a reforma constitucional no país, prevista para 22 de abril, e declarou que os russos não vão trabalhar na próxima semana. As medidas visam travar a propagação do coronavírus na Rússia onde, oficialmente, há apenas 658 casos, mas que viu um aumento de 163 em apenas um dia e onde se teme que a situação possa agora vir a agravar-se.

"Acredito que a votação tem que ser adiada para uma data posterior", afirmou Putin sobre a consulta, numa incomum declaração ao país transmitida pelas televisões.

Entre outras medidas, a reforma constitucional anunciada por Putin em janeiro e aprovada entretanto pelos deputados vai permitir ao presidente voltar a candidatar-se. O segundo mandato de Putin, no poder há 20 anos, devia acabar em 2024, mas a reforma constitucional permite recomeçar a contagem do número de mandatos. Na teoria, o presidente poderá ficar no Kremlin até 2036.

Em relação à semana sem trabalho, Putin indicou que se destina a travar a expansão do coronavírus. Ao contrário de outros países, a Rússia não introduziu ainda qualquer obrigatoriedade de os seus cidadãos ficarem em casa.

"Por favor não pensem que não vos pode afetar. Pode afetar toda a gente", disse Putin, que na terça-feira visitou um hospital para doentes com covid-19.

O presidente pediu ainda aos russos para se ajudarem mutuamente e seguirem as instruções dadas pelos médicos e pelas autoridades. "Todas as medidas que estão a ser tomadas e que vão ser tomadas vão funcionar, vão ter resultado se mostrarmos união e percebermos a dificuldade da situação atual", afirmou.

Segundo o site Russia Today, ligado ao Kremlin, haverá ainda um pagamento especial para apoiar as pessoas cujo rendimento tenha sido afetado pela pandemia, seja por causa de problemas de saúde ou pelo travão na economia resultante do coronavírus.

As medidas incluem também incentivos fiscais para pequenas e médias empresas, a suspensão de pagamentos de crédito para indivíduos que não podem pagar devido à perda de rendimento e mudanças na forma como se pode declarar falência pessoal.

Apesar de adiar a consulta, Putin não parece preparado para adiar as celebrações do final da II Guerra Mundial. Hoje mesmo foram abertas as acreditações dos jornalistas para o 75.º aniversário da "Vitória na Grande Guerra Patriótica de 1941-1945". A Rússia está a preparar um grande evento para 9 de maio, com uma grande parada militar, onde esperava a presença de vários líderes internacionais, tendo convidado, por exemplo, o presidente norte-americano, Donald Trump.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG