Príncipe William esteve infetado com Covid-19 e escondeu doença. Porquê?

Duque de Cambridge manteve em segredo o resultado do seu teste positivo em abril para evitar alarmar o Reino Unido

O príncipe William esteve infetado com a Covid-19 em abril, na mesma altura que o pai dele, avança a BBC, que cita fontes próximas da família real.

De acordo com o Sun, o primeiro jornal a dar conta da infeção, o duque de Cambridge manteve o seu diagnóstico em sigilo para evita alarmar o Reino Unido.

O Palácio de Kensington, onde o príncipe reside e trabalha, recusou-se a fazer comentários oficiais.

William, segundo na linha de sucessão ao trono, não contou a ninguém sobre o resultado positivo do teste porque "havia coisas importantes a acontecer e não queria preocupar ninguém", diz o diário britânico.

O Duque de Cambridge, neto da rainha Isabel II, foi tratado pelos médicos do palácio e seguiu as diretrizes do governo, isolando-se na casa da família, Anmer Hall, em Norfolk.

A BBC diz que, além de evitar o alarme nacional, a família real também tentou preservar alguma privacidade.

Em abril, o príncipe William assumiu 14 compromissos por telefone e videochamada, incluindo videochamadas para funcionários de uma escola primária em Burnley.

Os jornais britânicos não mencionam qualquer infeção nos restantes membros da família, a mulher Kate ou os filhos George, Charlotte e Louis

Já o pai de William, o príncipe Charles, testou positivo em março e passou sete dias isolado na Escócia após apresentar sintomas leves, enquanto a mulher testou negativo.

O príncipe de Gales, de 71 anos, disse mais tarde que "se saiu muito bem" na luta contra o coronavírus, mas assumiu no seu primeiro compromisso público que não tinha recuperado totalmente o paladar e o olfato.

Também em abril, Boris Johnson foi internado após testar positivo, tendo inclusivamente sido tratado por um enfermeiro português, Luís Pitarma.

A notícia do diagnóstico do príncipe William chega dias antes de Inglaterra entrar num segundo confinamento nacional durante quatro semanas, a começar na quinta-feira.

O Reino Unido soma mais de um milhão de casos e quase 47 mil mortes por Covid-19 desde o início da pandemia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG