Presidente russo reitera disponibilidade para reforçar segurança na Europa

Putin falou durante uma visita a uma capela na Eslovénia erguida em homenagem aos 250 soldados russos prisioneiros do império austro-húngaro

O presidente da Rússia reiterou hoje, durante uma cerimónia junto ao monumento aos soldados russos mortos na Eslovénia em 1916, a disposição de Moscovo a cooperar para reforçar a segurança na Europa.

Vladimir Putin visitou a "capela russa", na localidade de Vrsic, no norte da Eslovénia, erguida em homenagem aos 250 soldados russos prisioneiros do império austro-húngaro, mortos durante a construção de uma estrada em 1916, durante a Primeira Guerra Mundial.

"A capela russa tornou-se num símbolo de amizade entre os Estados, da amizade russo-eslovena e dos esforços comuns pela paz e prosperidade", sublinhou o presidente russo.

"Para que não recordemos apenas os horrores da guerra, trabalhemos juntos para reforçar o entendimento mútuo, a confiança, a segurança na Europa e em todo o mundo", disse, perante uma assistência de cerca de 2500 convidados, incluindo o presidente da Eslovénia, Borut Pahor.

Depois da cerimónia em Vrsic, Putin vai inaugurar em Ljubljana um monumento em honra dos soldados russos e soviéticos que morreram nas duas Guerras Mundiais.

O presidente esloveno afirmou que a cerimónia de Vrsic se realizou em prol da paz.

As autoridades eslovenas destacaram que a visita, que ocorre numa altura de esfriamento das relações entre a Rússia, a NATO e a UE, organizações às quais pertence a Eslovénia, tem um carácter informal e comemorativo.

Recentemente, Borut Pahor lembrou a necessidade de manter e fortalecer uma boa cooperação bilateral com a Rússia, e ao mesmo tempo confirmou que a Eslovénia é um membro sincero da Aliança Atlântica e da UE.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG