Polícia egípcia invade organização de jornalistas e detém dois repórteres

Uma fonte judicial disse que a dupla já tinha sido procurada pelo Ministério Público por alegadamente incitar ao protesto em violação da lei

A polícia egípcia invadiu no domingo a sede de uma organização de jornalistas no centro do Cairo e deteve dois jornalistas por incitamento ao protesto, segundo fontes judiciais e o responsável pela associação.

"Foi a primeira vez que a polícia invadiu a sede da associação", disse à agência AFP Yahiya Kallash, acrescentando que os jornalistas Amr Badr e Mahmud el-Sakka foram detidos. Uma fonte judicial disse que a dupla já tinha sido procurada pelo Ministério Público por alegadamente incitar ao protesto em violação da lei.

Amr Badr dirige o website Babawet Yanayer, que se opõe ao President Abdel Fattah al-Sisi. Mahmud el-Sakka trabalha para a organização Saami, um nome que recorda os protestos de janeiro de 2011.

Na sexta-feira, Amr Badr tinha escrito na rede social Facebook que a polícia tinha invadido a sua casa e a de Mahmud el-Sakka.

Sakka tinha anunciado no Facebook planos para participar em abril num protesto contra a decisão do Governo de entregar à Arábia Saudita duas ilhas no Mar Vermelho.

Exclusivos