OMS: não há provas científicas de que o vírus tenha saído do laboratório de Wuhan

"Não recebemos nenhum dado ou prova específica do governo dos Estados Unidos em relação à suposta origem do vírus", esclarece Organização Mundial da Saúde.

É uma resposta e um pedido aos EUA: o vírus tem origem animal, segundo a ciência, e se o país tem provas de que assim não é, deve apresentá-las.

A resposta chegou através da uma conferência de imprensa online da OMS, esta segunda-feira: Washington não forneceu provas científicas que sustentem as alegações de que o SARS-CoV-2 foi criado num laboratório chinês.

"Não recebemos nenhum dado ou prova específica do governo dos Estados Unidos em relação à suposta origem do vírus - portanto, da nossa perspetiva, isso permanece uma especulação", disse Michael Ryan, diretor executivo do Programa de Emergências em Saúde da OMS e que lidera a equipa responsável pela contenção e tratamento internacional da COVID-19.

Os cientistas acreditam que o novo coronavírus foi transmitido de animais para humanos, uma cadeia de transmissão rara, mas não impossível. Terá tido origem num mercado de animais vivos, em Wuhan, na China.

Donald Trump, que criticou desde o início a gestão da crise sanitária pelo governo chinês, afirma ter provas de que o vírus foi criado num laboratório de Wuhan.

No domingo, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse que há "provas enormes" que sustentam essa alegação, apesar da China o ter negado veementemente.

"Como qualquer organização baseada em provas, estamos muito recetivos a receber qualquer informação que nos indique a origem do vírus", disse Ryan, enfatizando que essa "é uma peça muito importante de informação de saúde pública para controlo futuro" , afirmou, citado pela AFP.

"Se esses dados e provas científicas estiverem disponíveis, será o governo dos Estados Unidos a decidir se e quando poderá partilhá-los, mas é difícil para a OMS trabalhar no vazio de informações a esse respeito", acrescentou.

A agência de saúde da ONU afirmou, várias vezes, que o vírus parece claramente ter tido origem numa fonte animal.

A especialista da OMS Maria Van Kerkhove enfatizou durante a conferência de imprensa de segunda-feira que existem cerca de 15.000 sequências completas de genoma do novo coronavírus disponíveis e "de todas as provas que vimos ... este vírus é de origem natural".

Relatório: China atrasou informação para comprar equipamento médico

Entretanto, um relatório de quatro páginas do Departamento de Segurança Interna dos EUA - datado de 1 de maio a que a AFP teve acesso, diz que o governo chinês "ocultou intencionalmente a gravidade" da pandemia no início de janeiro.

A investigação revela que ao mesmo tempo que a China tranquilizava a sua população e a comunidade internacional, subestimando a gravidade de um vírus até então desconhecido, aumentava as importações e diminuía as exportações de equipamentos médicos e de proteção social, como máscaras, luvas e aventais cirúrgicos.

O relatório indica também que a China só alertou a OMS sobre o caráter altamente contagioso e perigoso do novo coronavírus a meio de janeiro, para ter acesso a equipamentos médicos do estrangeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG