O "Sherlock Holmes dos cães-polícia" vai ser clonado na China

Os cães clonados deverão demorar dez meses a serem treinados em vez dos habituais cinco anos

Cientistas chineses da região de Yunnan estão a trabalhar num processo de clonagem dos chamados "Sherlock Holmes dos cães-polícia" com o objetivo de reduzir o tempo de treino dos agentes de quatro patas e os custos, segundo o jornal The Guardian.

O primeiro exemplar já foi clonado há três meses fruto de uma parceria entre a empresa de biotecnologia Sinogene e a Universidade Agrícola de Yunnan, com o apoio do Ministério da Segurança Pública. A Sinogene pretende agora "aumentar a produção" dos cães polícias chineses.

Para já, Kunxun - o primeiro clone - está a ser treinado para detetar drogas, controlar multidões e detetar provas de crimes. Só a partir dos dez meses se tornará de forma oficial um membro da polícia chinesa. Sendo que o processo normal dura cerca de cinco anos e custa 500 mil yuanes (cerca de 657 mil euros), sem garantia de sucesso.

Os custos do processo de clonagem não são conhecidos, apesar de uma das metas deste processo ser a redução do dinheiro gasto com estes cães. No entanto, o ​​​​​​​vice-diretor da empresa Sinogene já disse que o investimento ainda é elevado e chega mesmo a ser um obstáculo.

O primeiro cão clonado foi criado em 2005 por cientistas sul-coreanos e dois anos depois este processo começou a servir para criar cães polícia.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG